Quarta-Feira, 03 de Junho de 2020, 09h:51

Tamanho do texto A - A+

Riva cita delação e fica em silêncio durante CPI: "Posso prejudicar as investigações"

Por: WELLYNGTON SOUZA

Durante oitiva na manhã desta quarta-feira (3), o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, fez uso da prerrogativa de se manter em silêncio e não respondeu a nenhum questionamento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que investiga o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), por suposta quebra de decoro parlamentar à época em que era deputado estadual.

Alan Cosme/HiperNoticias

jose riva

 

Em delação premiada ao Ministério Público do Estado (MPE), Riva revelou um esquema de corrupção e ‘mensalinho’ envolvendo os deputados estaduais e o ex-governador Silval Barbosa. No entanto, a delação está sob sigilo da Justiça.

Questionado pelo vereador Toninho de Souza (PSD) sobre a existência de ‘mensalinho’ e o suposto envolvimento do prefeito de Cuiabá no esquema, Riva não respondeu.

"Eu já havia anunciado que ia usar prerrogativa de me manter em silêncio em função de acordo da delação, pois são assuntos que ainda estão sendo investigados e qualquer coisa que eu possa falar aqui poderá prejudicar as investigações. No momento certo eu quero esclarecer todos os fatos. Infelizmente, não tenho outra opção. Agradeço a compreensão da Casa de Leis", disse. 

O ex-deputado ainda comentou de estar arrependido do que fez e que está ressarcindo os cofres públicos. Riva ainda sugeriu que a oitiva fosse reagendada e sob autorização da Justiça estaria disposto a colaborar com a CPI do Paletó.

"Me arrependi do que fiz de errado, estou devolvendo, quero me manter em silêncio, gostaria de colaborar, eu já falei. Ontem meus advogados se reuniram, comunicaram instâncias superiores e é unânime. E minha fala nesse momento não pode ser outra a não querer permanecer em silêncio. Eu tenho acordo de colaboração firmado ou poderá ser outra data, me coloco a disposição em outro momento de poder esclarecer esses assuntos", comenta. 

Toninho rebateu então dizendo que em breve a delação de Riva virá à tona, a exemplo da confissão de Silval Barbosa. “A delação premiada de Riva já foi feita, está no TJ, em breve tornara pública e todos os fatos relatados por ele virá à tona, assim como foi feita na delação de Silval, os nomes estão lá, de ex-deputados, empresários, figuras na população, de pessoas que estão mais sujos do que pau de galinheiro que tenta se passar por paladino. Estamos no papel da CPI para exatamente para buscar as informações que nos cabe, mas infelizmente nesse momento o Riva não pode trazer”.

Devido ao silêncio do ex-parlamentar, o presidente da CPI, o vereador Marcelo Bussiki, afirmou que irá encaminhar ao Tribunal de Justiça (TJMT) um requerimento para que o ex-presidente da Assembleia Legislativa possa colaborar com as investigações da Câmara dos Vereadores de Cuiabá.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei