Terça-feira, 16 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

Política Quinta-feira, 25 de Agosto de 2022, 19:10 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2022, 19h:10 - A | A

PUNIÇÃO ADMINISTRATIVA

Sindicalista é afastado da direção da Adufmat por acusação de assédio sexual e "rachadinha"

Professor diz que está no epicentro do furacão de uma disputa política e provará sua inocência

RAFAEL COSTA
Da Redação

O conselho do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) afastou o diretor geral da Adufmat (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso), Reginaldo Araújo, por conta de denúncias de assédio sexual, moral e apropriação indevida de salários de funcionários e ainda lhe excluiu do quadro de filiados. O afastamento e a punição estão em vigor desde o dia 17 de julho e impedem o sindicalista de permanecer à frente da Adufmat até julho de 2023.

Em entrevista ao HNT, Reginaldo Araújo negou veementemente todas as acusações e diz que está formulando sua defesa para questionar o afastamento na esfera administrativa e também na Justiça.

Filiado ao PT (Partido dos Trabalhadores), Reginaldo Araújo chegou a ter o nome defendido para ser candidato ao governo do Estado nas eleições de outubro pelo grupo político liderada pelo deputado estadual Lúdio Cabral. No entanto, o projeto não emplacou. Atualmente, o PT integra uma federação formada pelo PCdoB e PV, que apoia a candidatura da primeira dama por Cuiabá, Márcia Pinheiro, na disputa ao Palácio Paiaguás.

 A denúncia que culminou no afastamento foi feita por uma funcionária que trabalhou até meados de 2021. Apesar disso, Reginaldo Araújo tem tido o apoio de professores universitários que consideram seu afastamnento injusto por não valorizar o conteúdo da sua defesa.

"Eu avalio tudo isso com muita tristeza e indignação, porque as acusações que me foram imputadas são muito graves, especialmente quando a gente vê a partir de uma perspectiva de militante. Acusações de assédio moral, de assédio sexual, de rachadinha - uma expressão que alguns membros do Andes-SN utilizaram para me acusar de apropriação de recursos da servidora -, contra toda uma história, toda uma prática de construção que nós fazemos dentro do movimento sindical. Eu vejo com muita tristeza e indignação como esse processo foi feito para garantir uma condenação", declarou.

Reginaldo Araújo ainda disse que encara o afastamento como consequência de uma disputa política no núcleo do sindicato. "Apresentei minha defesa e não foi acessada na íntegra pelos julgadores. Foi um julgamento político que não permitiu o contraditório e a ampla defesa", concluiu o sindicalista.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros