Política Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011, 11:20 - A | A

Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011, 11h:20 - A | A

PEDIDO

Prefeitos de Mato Grosso pedem investimentos na Segurança Pública

Gestores municipais dizem que Estado não acompanhou aumento populacional e a criminalidade avançou mais que aumento de efetivo e maior aparelhamento das polícias

HÉRICA TEIXEIRA
herica@hipernoticias.com.br

Mayke Toscano/Hipernotícias
Meraldo Sá, presidente da AMM, quer mais segurança para municípios de Mato Grosso

Prefeitos de todo o Estado pediram mais investimentos na área de Segurança Pública. Os gestores alertam que investimentos no setor não acompanharam o ritmo de crescimento populacional de Mato Grosso, o que provocou também o aumento da criminalidade e a sensação de impunidade. A reação ocorreu durante encontro realizado na terça-feira (9), quando protestaram contra o assassinato de dois prefeitos nos últimos 15 dias.

Gestores não querem que casos como a execução do prefeito de Novo Santo Antônio, Valdemir Antônio da Silva, o “Quatro Olho” e do prefeito de Nova Canaã do Norte, Antônio Luiz César de Castro, o “Luizão”, fiquem impunes.

O presidente da AMM, Meraldo Figueiredo Sá, falou com a imprensa e disse que medidas a serem tomadas têm caráter de urgência e também argumentou que mortes de prefeitos pode estar ligado a crimes políticos.

“Estamos acompanhando as investigações que estão sendo feitas e acreditamos em crime político. Está difícil trabalhar da forma que está, estamos cobrando investimentos no setor. O governador precisa investir forte em todas as delegacias”, salientou.

Meraldo disse ainda que prefeitos não têm nenhum tipo de segurança, "apenas de Deus", e argumentou que sabia que o prefeito de Novo Santo Antônio vinha sendo ameaçado.

“O prefeito sofria ameaças, mas em momento nenhum pediu segurança. Para este caso já foram dois acusados presos. Acredito que nas próximas horas teremos o desfecho”, pontuou.

Quanto a morte do prefeito de Nova Canaã do Norte, Meraldo disse que as investigações estão sendo feitas, mas ainda não é possível saber o que motivou o crime.

OUTRAS AMEAÇAS

O prefeito de Colíder (a 656 km da Capital), Celso Paulo Banazeski (PR), que também participou dos trabalhos na AMM, disse que situação encontrada em Nova Canaã do Norte é “clima de faroeste”.

Celso também afirmou já ter recebido ameaças e até teve sua casa atingida por tiros. A última ameaça aconteceu há 60 dias. “Providências precisam ser tomadas em relação a violência. Há 60 dias recebi ameaça e fiz um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia”, declarou.

O prefeito de Colíder disse que a pessoa que fez a ameaça foi identificada, mas não foi preso.

O prefeito acrescentou que “todo prefeito que concorre eleições cria desafetos políticos, mas que a vida tem que continuar”.

Ainda participaram da coletiva, o prefeito de Cuiabá, Chico Galindo (PTB), o prefeito de Colíder Celso Banezeski e o prefeito de Santa Terezinha, Domingos da Silva Neto (PP).

DOCUMENTO

Ao final do encontro com os prefeitos, os gestores assinaram manifesto, exigindo agilidade nas investigações, que serão entregues as autoridades de justiça, aos representantes do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), Assembleia Legislativa e ao Governo do Estado

Além de prefeitos, participaram do manifesto na AMM o presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, o deputado Dilmar Dal Bosco, os secretários de Estado da Casa Civil, José Lacerda, e de Ciência e Tecnologia, Eliene Lima, o secretário geral do Ministério Público, Ricardo Marques, entre outros.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros