Sexta-feira, 12 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

Política Quinta-feira, 03 de Novembro de 2022, 19:24 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 03 de Novembro de 2022, 19h:24 - A | A

ATOS ANTIDEMOCRÁTICOS

Mauro Mendes compara manifestantes que pedem intervenção militar a “adolescentes insubordinados”

O governador também reforçou a lisura do pleito e externou o desejo por uma transição de governo madura e democrática

O governador Mauro Mendes (UB) criticou, na tarde desta quinta-feira (3), os atos antidemocráticos que pedem intervenção militar no país. Segundo ele, os manifestantes que protagonizam os pedidos golpistas se assemelham a “adolescentes rebeldes e insubordinados”.

“É lamentável. Acho que uma parte da nossa sociedade está agindo como se fosse adolescente. Adolescente começa a descobrir o poder, a sua autonomia chegando perto da maioridade e ele fica muito rebelde, com ideias insubordinadas. Então uma parte da sociedade brasileira está agindo assim”, declarou o governador à Rádio Bandeirantes.

Mauro Mendes também teceu críticas à ditadura militar de 1964 e externou o desejo por uma transição de governo madura e democrática. Mauro era aliado do atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) que não conseguiu se reeleger.

“Quem conheceu a ditadura militar, sabe que não é o melhor caminho. Os militares brasileiros muito conscientes disso nunca verbalizaram, nunca externalidades qualquer ação nesse sentido e por isso estamos tendo uma transição que se Deus quiser vai ser madura e democrática”, afirmou.

Em sua entrevista, o governador reforçou sua crença na lisura do pleito e na eleição de Lula como a escolha da maioria dos brasileiros. O governador também garantiu que trabalhará para assegurar a “moralidade” do país.

“Foi a escolha da maioria dos brasileiros e ela terá que ser respeitada. Da minha parte, apoiei o presidente Bolsonaro, mas vamos ter que trabalhar nos próximos anos com o presidente eleito, vamos defender princípios, vamos defender a legalidade, vamos defender a moralidade do nosso país. Não da para admitir que coisas que já aconteceram voltem ou continue acontecendo pelo bem do nosso país”, finalizou.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

waldomiro lopes 03/11/2022

ATÉ DIA 29/10 ESTAVA AÍ DE FROSÔ COM A POPULAÇÃO, AGORA QUE DESVOTARAM O BOLSONARO OS ELEIORES ESTÃO IGUAIS A """""ALOCESCENTES INSUBORDINADOS"""""" JÁ TEVE A SUA REELEIÇÃO ASSEGURADA NÉ, NÃO PRECISA MAIS DOS ADOLESCENTES INSUBORDINADOS.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros