Terça-feira, 16 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

Política Sexta-feira, 22 de Julho de 2022, 16:53 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 22 de Julho de 2022, 16h:53 - A | A

REAPROXIMAÇÃO

Júlio minimiza desconforto e acredita que Fávaro ainda pode somar à base de Mendes

Júlio também classificou como natural a situação de Neri Geller na condução de sua pré-campanha ao Senado, após o fechamento da aliança com a Federação

EVELYN RIBEIRO
Especial para o HNT

O ex-governador e pré-candidato a uma cadeira da Assembleia, Júlio Campos (União Brasil), afirmou, nesta sexta-feira (22), que acredita em uma reabertura de diálogo entre o senador Carlos Fávaro (PSD) e o governador Mauro Mendes (União Brasil), para somar com a base do governador. Segundo ele, a possibilidade de Fávaro se candidatar ao governo não deve se concretizar.  

“Acho que o senador Fávaro realmente deu uma definição de que não será candidato. Seu nome foi lembrado pela frente de esquerda, para liderar a chapa de governador, mas ele já optou de continuar senador e até mesmo há possibilidade de retornar e vir somar conosco, porque as bases do PSD de Mato Grosso e os candidatos a deputados estaduais e federais do seu partido são 90% tendentes a ficar ao lado da reeleição do governador Mauro Mendes”, declarou.

Júlio também classificou como natural a situação de Neri Geller (PP) na condução de sua pré-campanha ao Senado, após o fechamento da aliança com a Federação do PT, PV e PCdoB.

“Ontem, nós tivemos uma conversa preliminar entre o governador e o senador Fávaro e entendemos que a situação do deputado Neri Geller é completamente normal, porque ele está caçando o espaço dele para ser senador e tem muita justificativa. Ele foi secretário nacional do Ministério da Agricultura, atuou na gestão da ex-presidente Dilma, depois, foi ministro de Estado durante um ano. Então, ele está voltando ao ambiente ao qual ele já participou. Então, não há nenhuma dificuldade. Sua candidatura lá é forte”, afirmou.

Quanto à disputa dos pré-candidatos ao Senado por Mato Grosso, Júlio Campos avaliou que será uma eleição dramática.

“Vai ser uma eleição dramática entre Wellington, Neri e outro possível candidato. Natasha, com menos perspectiva, porque seu próprio partido está indeciso, a direção nacional do PSB já determinou que o PSB de Mato Grosso seja incluído da frente de esquerda, até porque Geraldo Alckmin, que é o nome mais forte do PSB Nacional, será o vice-presidente da chapa do Lula. Então, não tem sentido o PSB de Mato Grosso ficar fora da candidatura”, concluiu.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros