Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 11h:10

Tamanho do texto A - A+

Mau exemplo da Aprosoja

Alan Cosme/HiperNoticias

antonio galvan/gazeta agro


O juiz Rodrigo Roberto Curvo, da Vara Especializada do Meio Ambiente, concedeu nesta segunda-feira (30) liminar ao Ministério Público e determinando a destruição imediata da lavoura experimental de soja localizada na Fazenda Dacar, no município de Vera, de propriedade do presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antonio Galvan, por ferir o chamado vazio sanitário - período em que é proibido plantar soja. Em fevereiro, Galvan já havia sido autuado pelo Indea por ter plantado 100 hectares fora do período permitido. Galvan foi multado em 460 unidades de padrão fiscal (UPF), o equivalente a mais de R$ 68 mil. Caso não cumpra a decisão, Galvan e seu filho, Albino Galvan Neto, que também é sócio das fazendas, poderão pagar multa diária de R$ 25 mil cada.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei







Mais Comentadas