Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

Justiça Sexta-feira, 11 de Novembro de 2016, 17:33 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 11 de Novembro de 2016, 17h:33 - A | A

CRISE NA SAÚDE

TCE cobra dívida de R$ 5,4 milhões com o Hospital de Câncer e afasta secretário de Cuiabá

RENAN MARCEL

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou que a prefeitura de Cuiabá pague, dentro de 48 horas, uma dívida de R$ 5,4 milhões com a Associação Mato-Grossense de Combate ao Câncer, que administra o Hospital de Câncer. Até lá, o secretário de Saúde municipal, Ary Soares Júnior, deverá pagar multa diária de 50 UPFs e ficar afastado do cargo.  

 

Mayke Toscano/HiperNotícias

sessão/tce/sérgio ricardo

 

O prefeito em exercício, vereador Haroldo Kuzai (SD), e o titular, Mauro Mendes (PSB), também foram multados. A decisão é desta sexta-feira (11) e foi assinada pelo conselheiro Sérgio Ricardo.

 

Conforme a representação interposta pela Associação, a prefeitura deve dois meses de repasses, referentes a setembro e outubro deste ano, respectivamente nos valores de R$ 2,9 milhões e R$ 2,4 milhões.

 

Segundo a entidade, os serviços e procedimentos médicos já foram executados pelo Hospital de Câncer. E a falta dos pagamentos compromete o atendimento na unidade de saúde.

 

“Na análise deste caso, restou comprovado que os valores são devidos e reconhecidos pela Prefeitura de Cuiabá, [...]fato este, que enseja o reconhecimento do direito adquirido pelo credor, tendo por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito”, diz trecho da decisão.

 

Sérgio Ricardo destaca ainda que o atraso não afeta uma empresa privada simplesmente com fins lucrativos. “A inadimplência da Secretaria Municipal de Saúde, traz um transtorno diretamente a toda a população mato-grossense, e ainda, compromete a saúde pública como um todo, o direito a saúde, a dignidade da pessoa humana e a vida”, justifica na decisão. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros