Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Cidades Segunda-feira, 05 de Setembro de 2016, 10:07 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 05 de Setembro de 2016, 10h:07 - A | A

TOM ELEVADO

Serys contesta Emanuel e o chama de leviano

DA REDAÇÃO

Candidata à Prefeitura de Cuiabá pelo PRB, Serys Slhessarenko classificou como leviana a afirmação feita pelo adversário Emanuel Pinheiro (PMDB) de que ela se aposentou como professora tendo trabalhado apenas um ano na função.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

serys slhessarenko

Serys contesta declaração de adversário à prefeitura de Cuiabá

“Nunca abandonei a sala de aula. Fui professora por 27 anos. Se o candidato Emanuel tivesse pesquisado, saberia que não deixei a função nem mesmo quando fui secretária de Educação da Prefeitura de Cuiabá e do Estado de Mato Grosso. E que já tinha tempo de trabalho suficiente para me aposentar quando fui eleita deputada”, rebate. 

 

Serys Slhessarenko começou sua carreira no magistério em 1967, no Ginásio Brasil. No ano seguinte, passou pela Escola Estadual Nilo Póvoas e, em 1969, ingressou no Colégio Pré-universitário, incorporado pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) após sua criação, em 1970.  

 

Aprovada em concurso público da instituição, Serys nunca deixou as salas da UFMT. Nem mesmo quando exerceu a função de secretária de Educação da Prefeitura de Cuiabá por um ano, durante a administração Dante de Oliveira, e do Estado de Mato Grosso por um ano e três meses no governo de Carlos Bezerra. 

 

“Quando fui secretária do município e do Estado, reduzi minha carga horária de 40 para 20 horas, mas continuei exercendo a profissão. Está tudo registrado nos documentos públicos para quem quiser conferir”, atesta.

 

Ao assumir seu primeiro mandato como deputada estadual, em 1991, Serys já havia lecionado os 25 anos previstos em lei para o professor requerer sua aposentadoria. “Eu nunca abandonei minha profissão para exercer função pública. Muito pelo contrário”, ressalta.

 

FAP

 

Os ataques de Emanuel à Serys se tornaram frequentes desde que, no primeiro debate dos candidatos à Prefeitura de Cuiabá, na TV Record, no dia 29 de agosto, ela criticou o fato dele receber mais de R$ 20 mil como deputado estadual aposentado desde que tinha 32 anos, após exercer apenas oito anos de mandato.   

 

Serys, que foi deputada estadual por três mandatos e senadora por mais oito anos, jamais aceitou receber aposentadoria especial. Seu rendimento é a aposentadoria como professora da UFMT. 

 

“Aposentadoria especial pode até ser legal, mais é imoral. É uma forma de corrupção. Emanuel Pinheiro não deveria tentar me medir pela régua dele, pela régua de quem não tem ética e de quem falta com a verdade no embate político”, argumenta. 

 

Ela foi a autora, em 1995, da lei estadual que acabou com o Fundo de Aposentaria Parlamentar (FAP). Entretanto, mesmo após a promulgação da lei, Emanuel Pinheiro pleiteou o benefício e conseguiu passar a recebê-lo integralmente, por meio de repristinação, processo legislativo que dá efeito a uma lei já revogada. 

 

De acordo com o que o candidato disse ao Midia News, sua aposentadoria rende hoje R$ 25 mil por mês. Se isso é verdade, ele já custou mais de R$ 6 milhões aos cofres públicos só de aposentadoria. “Cargo político não é carreira para se aposentar”, acrescenta Serys.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

miguel .g. da .costa 07/09/2016

olha so tem muito candidato emganando ele mesmo . esse emanuel e bem cara de pau e agora vai fica na moita

positivo
0
negativo
0

M. Mattos 05/09/2016

E agora seu Emanuel? Qual vai ser a justificativa? Vai pedir desculpas a Serys ou vai ser como de costume que lança inverdades e fica por isso mesmo? Aliás, não sou nem nunca fui adepto da ex-Senadora, mas uma difamação dessa merece no mínimo um reparo à moralidade e dignidade dela.

positivo
0
negativo
0

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros