Política Domingo, 15 de Maio de 2011, 20:02 - A | A

Domingo, 15 de Maio de 2011, 20h:02 - A | A

CRISE NO PT

Ságuas quer substituir a expulsão de Serys por suspensão de seis meses

Apesar da Comissão de Ética ter pedido expulsão de ex-senadora por infidelidade, presidente acha que todos no PT já foram punidos pelas urnas

 

Diógenis Santos
Ságuas quer tentar diálogo e evitar mais radicalização no PT
O Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) não vai expulsar da sigla a ex-senadora Serys Slhessarenko, tal como sugeriu parecer da Comissão Ética petista, concluído na noite de sábado [14].

É o que afirmou neste domingo a Hipernotícias o presidente regional do PT,deputado federal Ságuas Moraes, que adiantou que vai propor uma pena mais branda para a ex-parlamentar, que é acusada por parte do partido de ter sido infiel à legenda no pleito eleitoral de 2010, quando Serys teria deixado de apoiar a candidatura do então candidato petista ao senado Carlos Abilcall e apoiado outros nomes, até adversários do PT.

“Fiquei surpreso, esperava uma posição mais branda da Comissão de Ética e vou estar propondo uma suspensão partidária de seis meses”, apontou Ságuas , enaltecendo, porém, o trabalho técnico da Comissão de Ética.

Essa defesa de reavaliação de pena também será estendida a outros “rebeldes” do PT, como o vereador cuiabano Lúdio Cabral e a ex-deputada Vera Araújo.

Ságuas acrescentou que, desde que assumiu a direção doPT de Mato Grosso vem tentando estreitar conversas com parte do grupo ligado à ex-senadora e que acredita que só com o diálogo será possível “reconstruir”a unidade petista.

Do ponto de vista eleitoral, já houve penalidade, segundo o presidente petista, onde todos no partido perderam. “E depois, só fato de ela ter que responder por um processo interno na Comissão de Ética já é causa um desconforto muito grande”, emendou.

Ságuas Moraes quer fazer com que os 47 membros do diretório, que têm direito a voto, entendam que o melhor nesse momento não é radicalizar, até porque se a maioria votar pela expulsão, a ex-senadora ainda poderá recorrer ao diretório nacional do PT que poderá ou não referendar a pena.

“Se a nacional acatar, em nada teremos adiantado no diálogo, se não acatar, ficarão alimentados os mesmos problemas e a hora agora é de reerguer o partido e não de ficar olhando pelo retrovisor, nos degladiando, temos que promover o diálogo”, completou o líder petista.

Em se confirmando a suspensão partidária por seis meses, Serys ficará mantida filiada no PT, mas não poderá participar, nesse período, das decisões da legenda.

DEFESA PRONTA

A ex-senadora, também em entrevista por telefone ao Hipernotícias, disse acreditar que “a companheirada do diretório estadual saberá respeitar a minha história de luta e de conquistas dentro do PT”.

Serys alegou que não questiona o mérito do encaminhamento feito pela Comissão de Ética, mas adiantou que, caso haja a expulsão, como recomendada, irá recorrer de imediato ao Diretório Nacional.
A forma como foi encaminhado o processo, na avaliação da ex-parlamentar, foi de forma arbitrária, ditatorial ao comunicá-la da defesa e por não permitir que as testemunhas dela a defendessem.

“A defesa que fiz, foi uma defesa atrasada, porque só fiquei sabendo do processo pela imprensa”, argumentou reforçando que não cometeu crime nenhum.

Serys , nesse domingo [15], disse ter recebido votos de solidariedade de muitas lideranças da região norte do Estado devido ao posicionamento da Comissão de Ética do PT pela expulsão dela da sigla. A ex-senadora estava em Nova Canaã do Norte tratando de ações dela, feitas ainda enquanto senadora.

“Pessoas de vários municípios vieram se solidarizar comigo, apontando toda uma vida de trabalho e ações que prestei a essa região”, lembrou.

Quanto à acusação de infidelidade em 2010, Serys apenas afirmou que “podia votar em dois senadores e eu pedi votos pro Blairo Maggi”, finalizou.

Conforme o Secretário Geral do PT de Mato Grosso, deputado estadual Alexandre César, as partes devem ser notificadas e, em seguida, a partir de cinco dias, “o Diretório, que é soberano, poderá acatar ou não a pena sugerida pela Comissão de Ética”.

Entretanto, o presidente Ságuas Moraes já quer que o Diretório vote o destino de Serys já no próximo fim de semana.

“Para que possamos seguir discutindo outros temas no partido, temos que zerar esse assunto e isso já faremos no fim da próxima semana”, adiantou, ponderando que deve ser respeitado o prazo legal de cinco dias.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

maria jose 17/05/2011

Caro Julio, o Delúbio foi punido, afastado por cinco anos. A Serys tem que ser punida também. Ela merece um monte de chocolate MM e passear de táxi para sempre, não só durante a campanha passada. Fato que ela lardeou pelos quatro ventos, prova suficiente de infifelidade partidária, se é que você ou ela sabem o que é isso

Julio Dorfman 15/05/2011

Pena mais branda ou nao, nao muda o fato de que o nobre Saguas ou o partido, nao tem moral, "Pos Delúbio" para punir qualquer de seus integrantes. Ainda mais a Serys.

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros