Terça-feira, 16 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,94
libra R$ 5,94

Política Segunda-feira, 25 de Julho de 2022, 14:44 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 25 de Julho de 2022, 14h:44 - A | A

NA CONTRAMÃO

Janaína Riva rejeita Tebet e cobra MDB com Lula ou Bolsonaro

Deputada diz que candidatura presidencial não consegue se sobrepor à polarização e vê perda de recursos do fundão

RAFAEL COSTA
Da Redação

Vice-presidente do diretório estadual do MDB, a deputada estadual Janaína Riva avalia que é inviável o partido oficializar a candidatura da senadora Simone Tebet (MS) à Presidência da República.

Na avaliação da parlamentar, é mais vantajoso ao MDB oficializar apoio à reeleição do presidente da República Jair Bolsonaro (PL) ou aderir à candidatura do petista Luiz Inácio Lula da Silva.

“O cenário é de uma polarização radical. Dentro do MDB, a maioria já se posiconou com Lula ou com Bolsonaro", disse.

De acordo com as últimas pesquisas eleitorais, Simone Tebet tem registrado, no máximo, 2% de preferência de voto do eleitorado.

A convenção nacional do MDB está marcada para o dia 27, a partir das 11h, em Brasília. Em Mato Grosso, ocorre nesta quarta-feira, às 15h, no Hotel Delmond.

Uma ala do partido liderada pelo senador Renan Calheiros (AL) defende o apoio à candidatura do petista Luiz Inácio Lula da Silva. Revoltados, prometem até judicializar a homologação da candidatura própria do MDB à Presidência da República. Por outro lado, um levantamento produzido pelo jornal Estado de S. Paulo, divulgado em março, verificou que até 70% dos delegados que compõem o diretório nacional do MDB estariam dispostos a apoiar a reeleição de Bolsonaro.

Janaína Riva ainda avalia que a melhor alternativa para o MDB seria destinar o dinheiro do fundo partidário da campanha presidencial para o fortalecimento das chapas proporcionais.

“Uma candidatura a presidente consome uma parcela considerável do fundo partidário, vai levar R$ 30 milhões a R$ 40 milhões. Então, ela teria que ter condições de eleição. Não tendo condições, a nossa ideia é que possa escolher entre Lula ou Bolsonaro e esse recurso que poderia ser utilizado para uma candidatura de presidente da República vai para as proporcionais”, completou.

Pela legislação eleitoral, cada partido poderá lançar em Mato Grosso 25 candidatos a deputado estadual e nove candidatos a deputado federal. Destes, 30% deverão ser mulheres.

No entanto, Janaina Riva disse que os partidos estão com dificuldades de convencer mulheres a entrar na disputa eleitoral.

“As mulheres do partido, em especial, estão preocupadas, porque já começaram a dizer: ‘não vai ter recurso para todo mundo’. Nós temos uma candidata a presidente inviabilizada, que vai consumir fundo partidário. E as mulheres que estão na ponta vão ficar sem recurso? A discussão na questão da nacional é essa”, pontuou.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros