Terça-feira, 21 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Política Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 19:07 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 15 de Maio de 2024, 19h:07 - A | A

SALA ESVAZIADA

Gabinete de Amália Barros já "caiu" e assessores não estão em exercício

Porém, a deputada federal Gisela Simona acrescentou que o nome da parlamentar ainda consta na lista de integrantes da Câmara

CAMILA RIBEIRO
Da Redação

Segundo a deputada federal Gisela Simona (União Brasil), o gabinete de Amália Barros (PL) "caiu" e os assessores parlamentares não estão mais em exercício. A expressão é usada na Câmara dos Deputados para especificar a extinção de uma equipe política. A sala antes ocupada pelos servidores é esvaziada para receber o primeiro suplente Nelson Barbudo (PL) que aguarda convocação oficial do Legislativo para assumir a cadeira de Amália. 

A deputada faleceu neste domingo (12), porém, o seu nome ainda consta na lista de presença da Casa. Gisela atestou o fato ao marcar presença no painel nesta quarta-feira (15).  

"O gabinete de Amália já caiu. O pessoal dela não está mais em exercício, mas o nome dela continua no painel. Isso significa que ainda não houve esse chamamento do Barbudo. Ainda hoje quando registrei presença no início da tarde ainda estava o nome dela lá", falou Gisela Simona com exclusividade ao HNT

LEIA MAIS: Câmara pagará a herdeiros de Amália valor quase 11 vezes maior do que bens declarados em 2022

Conforme noticiado pela coluna, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), aguarda a apresentação do atestado de óbito pela família para dar encaminhamento ao rito. A partir da convocação, Nelson Barbudo terá um mês para assumir. 

"Depois que ele for chamado ainda tem 30 dias para assumir. Se não assumir, chamam o próximo mais votado que está entre os suplentes do PL", disse Gisela. 

A deputada federal lamentou a morte prematura de Amália que partiu aos 39 anos no auge da carreira política. Simona destacou que embora fosse nascida em São Paulo, Mato Grosso a "adotou" como representante. 

"Amália é uma pessoa que ganhou muito rápido o respeito e a confiança da população de Mato Grosso. É uma pessoa que não era conhecida por nós, era muito conhecida em Mogi Mirim, mas o projeto de visão monocular acabou fazendo-a ficar conhecida em todo o país e ela foi adotada por Mato Grosso como sua representante", avaliou Gisela.

MORTE DE AMÁLIA

Amália Barros morreu aos 39 anos, na madrugada deste domingo (12), no Hospital Villa Nova Star, em São Paulo. A deputada federal ficou 11 dias internada em Unidade de Terapia Intensiva para retirada de tumor no pâncreas. O estado de saúde evoluiu para grave e Amália precisou passar por outras cirurgias, entre elas, uma no fígado. Durante o procedimento, a deputada acabou não resistindo. O corpo de Amália foi velado na Estação da Educação, em Mogi Mirim, sua cidade natal. O sepultamento ocorreu no Cemitério da Saudade, em jazigo da família, onde o pai da deputada está enterrado. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros