Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Política Quarta-feira, 13 de Julho de 2016, 08:01 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 13 de Julho de 2016, 08h:01 - A | A

MAIS INVESTIGAÇÃO

CPI da Renúncia Fiscal recebe novas denúncias e decide adiar depoimento de Eraí Maggi

RENAN MARCEL

O deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB) entregou uma série de documentos para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e da Sonegação Fiscal nesta terça-feira (12), com várias novas denúncias sobre evasão de recursos de Mato Grosso por meio da comercialização de grãos.

 

Helder Faria/AL-MT

CPI RENUNCIA FISCAL, emanuel pinheiro, ze do patio

 

O conteúdo das denúncias, no entanto, ainda não é de conhecimento de todos os parlamentares da CPI e não veio a público.

 

Com os novos documentos, o presidente da comissão, deputado estadual José Carlos do Pátio (SD), e os demais membros suspenderam todas as próximas oitivas programadas, incluindo o interrogatório com o mega empresário do agronegócio, Eraí Maggi, que estava previsto para esta quinta-feira (14).

 

A oitiva que seria realizada nesta terça, com o diretor da Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat), Roberto Bortoncello, também foi adiada.

 

Segundo Pátio, o material entregue envolve diversas empresas e são referente ao regime especial, área de investigação da CPI quanto às fraudes na comercialização de grãos. Tudo será analisado pelos deputados e pela equipe técnica da CPI.

 

Preliminarmente, o deputado informou que há, inclusive, informações sobre o fluxo de movimentação. “São denúncias muito sérias e vamos agir com firmeza, como fizemos em toda a CPI”, garante Pátio.

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

Eraí Maggi

 Depoimento de Erai Maggi foi adiado

Na reunião desta terça, os parlamentares também aprovaram a prorrogação dos trabalhos de investigação até o dia 30 de novembro. O prazo anterior era até setembro.

 

Membro titular da CPI, o deputado Gilmar Fabris (PSD) pediu mais transparência ao andamento das investigações. Gilmar reclamou da dificuldade enfrentada, até mesmo por membros da Comissão, para ter acesso a todo processo da investigação, documentação e resultado de oitivas.

 

“São documentos que devem estar à disposição de todos os deputados, não só dos membros da CPI, de forma fácil e ágil e sem necessidade de autorização do presidente da Comissão. Todos os deputados devem estar a par do que está acontecendo nesta CPI”, explicou Gilmar.

 

Diante da reclamação, os demais membros acataram o pedido do parlamentar. Uma nova reunião foi marcada para esta quarta-feira (13), às 14 horas.

 

Zé do Pátio adianta que, embora não seja relator da comissão, o relatório final da CPI deve pedir o ressarcimento ao erário, por parte das empresas investigadas que, comprovadamente, sonegaram impostos em Mato Grosso nos últimos anos.

 

A investigação conduzida pela CPI identificou a evasão de receitas do Estado em R$ 1 bilhão, até o momento. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros