Sábado, 28 de Março de 2020, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Alegando crise financeira, Jayme defende adiamento de eleições municipais

Por: JOELMA PONTES

"O momento agora é de ter paciência e economizar". A declaração é do senador da República por Mato Grosso, Jayme Campos (DEM), que defende o adiamento das eleições municipais, em virtude da pandemia da Covid-19, o coronavírus, que além de fazer vítimas em todo o Brasil, tem ameaçado a economia brasileira. 

WhatsApp Image 2020-03-17 at 08.43.52.jpeg

“Essa possibilidade da prorrogação é positiva. O Brasil já realiza de dois em dois anos uma eleição e é desgastante. Além disso, passamos por um momento bem crítico relacionado a essa pandemia que vem afetando nossa economia", disse o senador

"Agora, isso é assunto para ser debatido amplamente e o Congresso tem recebido propostas de deputados, senadores que buscam um entendimento. O momento agora é de ter paciência e economizar. Deixar os projetos pessoais de lado e pensar no nosso povo que está amargando sérios prejuízos”, completou.

A proposta de adiamento das eleições municipais que deverá eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em 5.570 municípios brasileiros, partiu do ministro de Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante reunião através de videoconferência com os prefeitos das capitais, no último dia 22. A preocupação, segundo Mandetta é a de que interesses eleitorais influenciem medidas no combate do novo coronavírus.

Pauta precoce

Na segunda-feira (23), presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, afirmou que a discussão sobre um possível adiamento na realização das eleições municipais ainda é uma pauta “precoce” para ser debatida. Ao tratar sobre o tema Weber frisou que a realização das eleições está prevista na Constituição Federal.

“Quanto ao adiamento das eleições municipais, entendo cuidar-se de debate precoce, não sendo demais repisar que tem como objeto matéria prevista expressamente no texto constitucional e na legislação infraconstitucional”, disse a ministra por meio de nota.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira (27) que adiar as eleições municipais previstas para outubro deste ano não é uma questão simples ante a crise provocada pelo novo coronavírus. Segundo ele, haveria um "risco institucional muito grande" em adiar o pleito.

"Quem assumiria nas prefeituras seriam juízes, não os prefeitos", afirmou. Maia destacou que a população "vota por quatro anos e não por seis anos". "Isso precisa ser respeitado, no meu ponto de vista", pontuou. 

Eleição Suplementar

Devido a pandemia do Covid-19, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Rosa Weber decidiu adiar a realização da eleição suplementar para o Senado Federal em Mato Grosso. A disputa estava marcada para o dia 26 de abril, último domingo do mês, mas por medida de segurança foi suspensa.

No documento, a ministra não estabeleceu uma nova data para o pleito suplementar, entretanto ela destaca que deverá ocorrer com a maior brevidade possível, "sem descartar a possibilidade de ser ela realizada simultaneamente às eleições municipais de 2020".

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei



2 Comentários

Luiz Henrique - 28/03/2020

Que noticia boa essa da possivel cancelamento das eleições de outubro, por problemas da Pandemia do Coronavirus, e a possivel prorrogação do mandato da atual Prefeita Lucimar de Campos,é o maior presente que nos Varzeagrandenses teremos em 2020, pois vai EVITAR que um bando de candidatos picaretas a Prefeito voltem a querer avançar nos nosso impostos e a cidade vai continuar prosperando e desenvolvendo sob o comando d uma Prefeita trabalhadora,honrada como é aadona Lucimar. Vou soltar fogos....

Paula Tejando - 28/03/2020

Por favor, não façam isso. Nos servidores públicos municipais não aguentamos mais ser humilhados por essa família. Esse sujeito está pensando só nele, querendo prorrogar o mandato da sua esposa. O povo de Várzea Grande não aguenta mais.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA







Mais Comentadas