Terça-feira, 21 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Justiça Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 09:04 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 18 de Abril de 2024, 09h:04 - A | A

OPERAÇÃO DIAPHTHORA

Delegado preso em operação recebia "mensalinho" de garimpeiros, apontam investigações

Geordan Fontenelle foi preso nesta quarta no bojo da Operação Diaphthora que descortinou a existência de uma associação criminosa composta por policiais civis advogado e garimpeiros da região de Peixoto de Azevedo

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

O delegado Geordan Fontenelle, que atua na delegacia de Peixoto de Azevedo (672 km de Cuiabá), recebia propina mensal de garimpeiros da cidade. Informação consta na decisão da juíza Paula Tathiana Pinheiro, da 2ª Vara Criminal de Peixoto de Azevedo, que veio à tona nesta quarta-feira (17), com a 'Operação Diaphthora'. 

De acordo com as investigações, o 'mensalinho' era repassado pela Cooperativa dos Garimpeiros de Peixoto (Coogavepe) ao delegado em troca de favorecimento a eles. 

Em conversas interceptadas nas investigações, Fontenelle admite receber a propina e demonstra preocupação com o provável fim do repasse em função da deflagração da 'Operação Hermes', da Polícia Federal, que mirou o comércio ilegal de mercúrio.

Geordan Fontenelle foi preso nesta quarta no bojo da 'Diaphthora', que descortinou a existência de uma associação criminosa composta por policiais civis, advogado e garimpeiros da região de Peixoto de Azevedo. 

Além das vantagens ilegais, a polícia constatou a prática de advocacia administrativa e ainda o assessoramento de segurança privada pela autoridade policial. 

LEIA MAIS: Sobrinho de Silval teria pago propina para delegado preso em operação

Em uma das transações, conforme as investigações, Geordan Fontenelle teria sido beneficiado com uma caminhonete Mitsubishi MMC/L200 Triton Savana de cor amarela, juntamente com uma mochila preta que supostamente continha dinheiro, supostamente entregues pelo sobrinho do ex-governador Silval Barbosa, Antônio da Cunha Barbosa Neto. 

Ao todo, foram cumpridos 12 ordens judiciais, sendo dois mandados de prisão preventiva, sete de busca e apreensão e três medidas cautelares.

O delegado também costumava ostentar uma vida de luxo nas redes sociais, sempre postando imagens de viagens internacionais a destinos icónicos do planeta, como Egito e Las Vegas, nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Delegado alvo de operação ostenta vida de luxo no Instagram

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros