Cidades Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011, 12:29 - A | A

Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011, 12h:29 - A | A

GRANDE PERDA

Mato Grosso perde um dos seus grandes personagens, Ramis Bucair

Ramis gostava de contar suas histórias, em sua maioria divertidas, no tradicional restaurante Choppão

DA REDAÇÃO

 

Divulgação

Ramis Bucair, pesquisador reconhecido internacionalmente pelo estudo em cavernas mato-grossenses

 

Faleceu na manhã desta terça-feira (20), aos 78 anos de idade, Ramis Bucair, um dos pesquisadores mato-grossenses mais reconhecidos mundialmente pela seu estudo em cavernas e fundador do Museu de Pedras, único particular do gênero no Brasil.

Ramis Bucair era espeleólogo e morreu em decorrência de um câncer na bexiga que sofria há pelo menos quatro anos. Estava internado há uma semana no Hospital Jardim Cuiabá onde faleceu às 10h30 desta terça.

A sua sobrinha Elaine Bucair informou que o velório começa às 13h na capela Jardins próximo ao Pronto-Socorro de Cuiabá e seu enterro será no Cemitério da Piedade às 17h30.

Um dos frequentadores mais assíduos no tradicional restaurante Choppão, chegava nos sábado às 10h e só saía no início da noite. Em torno de sua mesa muitos cuiabanos como advogados, médicos, jornalistas ávidos para ouvir as suas divertidas histórias.

“A gente senta em mesa de bar para falar besteira e não coisa séria”, dizia Bucair.

Antes de se especializar como espeleólogo, a sua paixão declarada, Ramis Bucair que nasceu em Poxoréu, no dia 13 de junho de 1933, se formou em Agrimensura na cidade de São Paulo.

Ramis, filho de José Bucair, que chegou na Capital de Mato Grosso em 1922, sempre teve a união em sua família. Desde que tomou gosto pela Espeleologia na volta para Cuiabá em 1953, Bucair começou a viajar pelo Estado aumentando a sua coleção de pedras, pesquisando, fotografando cavernas e topografando os lugares por onde passava.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros