Artigos Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011, 00:01 - A | A

Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011, 00h:01 - A | A

Pecado

Oscar Wilde, ácido escritor irlandês, profetizou que não existe pecado “afora a estupidez”. Talvez ele tivesse razão... Abolir as culpas individuais e purificar a evolução da liberdade coletiva pode ser a última fronteira no avanço da psique humana ...

PAULO LEITE

 

Divulgação

 

Oscar Wilde, ácido escritor irlandês, profetizou que não existe pecado “afora a estupidez”. Talvez ele tivesse razão... Abolir as culpas individuais e purificar a evolução da liberdade coletiva pode ser a última fronteira no avanço da psique humana. Um passo decisivo rumo ao equilíbrio social, alicerçando novos patamares para a razão e para o relacionamento político maduro entre instituições e pessoas.

Liberdade não se resume a um conceito abstrato; é, em essência, o pólen que alimenta a democracia. A seiva que dá vida à sociedade. Pecado e liberdade são palavras moralmente excludentes. Do ponto de vista semântico, elas convivem harmonicamente, mas na esfera filosófica, elas são incompatíveis.

O pecado impõe limites; a liberdade conspira contra eles. O pecado é silencioso e obscuro; a liberdade alvoroçada e luminosa. O pecado é individual; a liberdade coletiva. O pecado quer recato; a liberdade exige transgressão. O pecado precisa de cúmplices; a liberdade de aliados.

Nossa geração procura expiar suas culpas tentando substituir o pecado pelo liberalismo. Mas, infelizmente, este “novo ideal” vem sendo edificado sobre os escombros de uma sociedade corroída por ódios e rancores. Uma cidadela preconceituosa e moralista. Onde a corrupção e a violência tornaram-se parâmetros de dominação e poder.

Precisamos aprender a ser livres. Entender que liberdade é um bem comum, um instituto de igualdade e comunhão política. Por isso, a educação terá papel preponderante na verdadeira independência de nossa gente. Nosso país tem a obrigação de promover o ensino para fortalecer consciências. Tem que incentivar o saber para debelar a miséria. Tem que educar para libertar mentes.

Liberdade é poder se afastar da estupidez. Pecado é continuar na ignorância.

HIT

Entre tapas e beijos, famoso hit sertanejo, ganhou uma versão mais cascuda na administração estadual. Marcelo Padeiro, adjunto de Infra-estrutura da Secopa, expulsou um desafeto entre ‘socos e pontapés’ do prédio que abriga a entidade. Os ânimos andam exaltados por aquelas bandas.

CAIXA

O presidente da Câmara Municipal, Júlio Pinheiro comunicou aos seus assessores que demitirá todos os cargos comissionados da entidade no dia 20 de dezembro, para recontratá-los em meados de janeiro de 2012. Explica que a medida se justifica para que o legislativo se enquadre na Lei de Responsabilidade Fiscal. Bom... O Ministério Público deve ficar atento à manobra para acompanhar o destino que se dará à sobra de caixa.

MUNICIPALISTA

O senador Jaime Campos vai concentrar a segunda metade de seu mandato na defesa dos interesses dos municípios brasileiros. Já encomendou aos seus assessores e à consultoria do Senado, um estudo que indique quais são os gargalos legais que atrapalham a gestão das prefeituras.

VIP’S

Acessem o bem-humorado e irreverente blog Xociedadecuiabana, sua linha editorial está causando verdadeiros calafrios nos socyalites e celebridades da capital. Aliás, quem é vip também passa por lá.

ENGENHARIA

Mauro Mendes e Dorileo Leal têm trocado figurinhas. Conversam com freqüência e seus interesses políticos se complementam. Mauro quer ser governador com o apoio do PMDB de Dorileo, e Dorileo quer ser prefeito de Cuiabá com o apoio de Mauro do PSB. Entenderam?

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros