Sábado, 07 de Março de 2020, 11h:58

Tamanho do texto A - A+

Misael afirma que Abílio ataca colegas para garantir votos

Por: REDAÇÃO

O presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão, não levou à sério as acusações feitas por Abílio Junior (PSC) durante votação que levou a sua cassação. O presidente afirmou que a situação foi uma medida desesperada do parlamentar cassado para garantir votos. O presidente ainda não divulgou data para que a vaga seja ocupada por Oseas Machado.

divulgacao

fabio tardim

 

A sessão que culminou na cassação do mandato de Abílio durou mais de 14 horas e foi recheada de acusações de todas as partes e por pouco não houve agressão física. Em seu discurso, o vereador acusou Chico 2000 (PL) de pedofilia, Justino Malheiros (PV) de receber dinheiro de propina, ele foi denunciado pelo ex-deputado José Riva (sem partido). Acusou vereadores de fraude em eleições e o próprio presidente foi acusado de gastar indevidamente o orçamento da Casa de Leis.

Questionado se tomará alguma medida diante de tantas denúncias, o vereador disse que não fará nada no momento.

“É natural a tentativa dele de conseguir votos atacando as pessoas, os parlamentares. Nossa gestão tem feito uma mudança pontual para melhor atender a sociedade. Aqui não tem nada a esconder, porque nossa gestão é transparente e tranquila. Só tem melhorado cada dia mais o parlamento”, rebateu o presidente.

Apesar de todo o tumulto no decorrer da votação, o presidente disse que se manteve calmo e tranquilo. Que não se alegra com o resultado, mas que foi necessário.

“É triste. É doído, mas houve quebra de decoro parlamentar”, frisa.

Abílio foi acusado de quebra de decorro por invadir o Hospital São Benedito e coagir servidores para obter documentos utilizados na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde e também por fazer vídeos nas redes sociais dizendo que estava sendo ameaçado de morte pelos colegas de parlamento.

Na sessão, ele ainda acusou o presidente de abuso de autoridade por conta do processo ter extrapolado o prazo legal. Ele chegou a chamar a polícia para prender o presidente.

“Estou aqui tranquilo, falando com a sociedade cuiabana”, amenizou Galvão.

Questionado sobre a data em que o suplente Oseas Machado assume a vaga de Abílio, o presidente disse que ainda não sabe. Vai consultar o jurídico da Casa para saber o procedimento. “Preciso consultar a assessoria, nunca passei por isso, mas estou preparado”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto








Mais Comentadas