Política Quarta-feira, 13 de Julho de 2011, 09:15 - A | A

Quarta-feira, 13 de Julho de 2011, 09h:15 - A | A

CRISE À VISTA

Governo "atropela" acordo com oficiais e apresenta tabela com reajustes menores

Com aval do comando-geral, SAD apresenta outra tabela de reajuste e desperta ira do oficialato da Polícia Militar de MT

Guilherme Filho/Secom-MT
Coronel da reserva Leovaldo Salles, atual presidente da Sindicato dos Oficiais, critica condução do reajuste

Uma tabela de reajuste salarial  feita pelo governo do Estado, sem  a anuência dos oficiais militares, provoca tensão entre o Executivo e militares de alta patente.

 A categoria acusa a Secretaria de Estado de Administração (SAD) de ter passado por cima de uma outra tabela, elaborada em comum acordo e que previa valores melhores aos oficiais e coronéis.

A proposta  apresentada pelo Estado “foi confeccionada a portas fechadas, só pelo governo, sem a participação da Comissão criada para participar das discussões”, diz o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar, Leovaldo Salles.

O mais intrigante nisso tudo é que o próprio comandante-geral  da PM, coronel  Osmar Lino Farias, cuja nomeação do cargo é feita pelo governador, teria  avalizado os valores que estão sendo propostos pela SAD.

“O secretário César Zílio (Administração) disse ter conversado com o Farias e o aumento dos oficiais já está resolvido e que só restava  resolver a situação dos praças”, informou o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa, deputado Walter Rabello (PP),  que interveio nas discussões  que culminaram com a criação de um grupo de oficiais para participar das discussões.

As diferenças entre as duas tabelas, a do governo e a que querem os oficiais é grande. Enquanto um coronel  ganharia em 2014  R$ 25.406,16 pela  proposta da categoria, o governo quer pagar   R$ 19.216,26 também daqui a três anos.  Atualmente um coronel da PM ganha R$ 14.329,47.

Veja as tabelas

SAD

Coronel - R$ 16.725,51 (final de 2011); R$ 17.596,91 (2012); R$ 18.388,77 (2013) e R$ 19.216,26 (2014)
Ten. Cel - R$ 13.039,94 (final de 2011); R$ 13.822,33 {2012); R$ 15.204,57 (2013) e R$ 17.181,16 ( 2014).
Major - R$ 111.409,94 ) final de 2011); R$ 12.094,54 (2012); R$ 13.303,99 (2013} e R$ 15.299,59 ( 2014).
 
Tabela dos Oficiais
Coronel- R$ 16.727,35 ( final de 2011); R$ 18.901,91 ( 2012); R$ 21.359,16 ( 2013); R$ 24.135, 85 ( 2014)
Ten. Cel - R$ 15.054,82 ( final 2011); R$ 17.958,81( 2012); R$ 20.291,20 (2013); e R$ 22.929,06 ( 2014)
Major- R$ 12.796,43  ( final de 2011); R$ 16.161,13 (2012); R$ 19.276,64 ( 2013); e R$ 21.782,60  (2014).
 
O comandante-geral da PM, coronel Lino Farias, disse só ter tomado conhecimento da tabela proposta pelo governo durante entrevista ao Hipernotícias e negou ter endossado os números que o governo apresentou, em detrimento da aprovação da categoria dos oficiais.

“Mas se o governo só pode oferecer isso, não podemos fazer muito, já que a capacidade do governo de comprometimento é limitada Eu participei de umas oito reuniões da Comissão de oficiais com técnicos do governo, mas não vou radicalizar se eles entenderam que aquilo não era viável”, disse por telefone o comandante-geral, se referindo a uma proposta que, segunda ele, não é a mesma que a Associação dos Oficiais apresenta agora.

”Havia uma diferença bem pequena numa outra  proposta que nós fizemos ao secretário César Zílio, mas os aumentos que o governo concede nunca dependem da nossa aprovação, pois o governo dá o que pode, para não comprometer as contas  do Estado”, emendou Farias.

Leovaldo Salles quer primeiro se reunir com Farias para discutir a proposta feita pela SAD, mas já  mobiliza a Associação para intermediar junto aos deputados  estaduais a não apreciação  dessa tabela pela Assembléia Legislativa até que esses números sejam “melhorados”.

“Precisamos que ele (Farias) nos responda de forma oficial, ou seja, se ele  consentiu  ou não essa proposta do governo , que ao nosso ver é indecente , já que as informações que  temos  sã extraoficiais que  apontam que ele compartilhou da elaboração  dela”, disse Salles.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Praça 13/07/2011

A polícia Militar de MT é dividida em duas, de um lado Oficiais e do outro Praças, como os Oficiais estão mais próximo do governo eles ganham muito bem enquanto os praças..sem comentário. Oficial tem que ganhar bem tbem, mas pq os praças também não pode? É mais fácil dar aumento pra poucos (oficiais) ae o governo manda segurar os praças. Segurança de MT está caminhando para um colapso, pois falta homens e falta uma remuneração adequada, pra quem trabalha de verdade.

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros