Política Quarta-feira, 11 de Maio de 2011, 09:33 - A | A

Quarta-feira, 11 de Maio de 2011, 09h:33 - A | A

CABEÇA E CORPO

Descontentes, aliados de Silval cobram cargos para base de apoio

Republicanos querem poder para nomear demais cargos em secretarias de Estado

Secom
Desde gestão de Blairo Maggi, governo do Estado não dá devida importância ao PR, dizem deputados
Partidos da base aliada estão revoltados com a forma que o governo vem tratando a questão de distribuição de cargos a que têm direito os deputados estaduais.  Crítica maior recai sobre os critérios - ou a falta deles - para desenvolver uma política em que “quem ajudou a ganhar, também  ajude a governar”. Conforme o deputado Wagner Ramos (PR) desde o governo republicano  Blairo Maggi que não se dispensa a atenção devida aos aliados.

“Está havendo muita cobrança na nossa base e nenhuma modificação foi feita pelo atual governo no interior onde  o primeiro e o segundo  deputado mais votado por região dividiam os cargos”, reclamou o republicano, salientando que na base dele há pessoas competentes que foram aliadas na campanha e que, portanto ajudaram a Silval Barbosa na vitória de outubro passado.

Ramos ainda reclamou que nenhuma das secretarias ocupadas pelo PR atualmente no staff do atual governo é verticalizada. “Temos a cabeça,mas não temos o corpo”, emendou. Secretaria verticalizada é aquele em que  secretário ao assumir, tem o poder de nomear e empregar pessoas de própria escolha.

O PR é um dos partidos que ocupa o maior número de secretarias no governo Silval. Algumas com seus respectivos nomes foram aproveitados da gestão Blairo Maggi, como a de Meio Ambiente, comandando pelo oficial da PM Alexander Maia, da chamada cota pessoal de Maggi.

Ainda estão com o PR, as secretarias de Transportes; Planejamento e Coordenação; Cultura e Administração. Os republicanos em pouco mais de um Mês perderam duas pastas: a de Desenvolvimento Rural e a Casa Civil.

E a prova de que o PR está realmente determinado em correr atrás do prejuízo é a escolha da direção do partido pelo nome do deputado Emanuel Pinheiro para investir sobre o  governo uma cobrança mais forte e constante. Primeiro passo seria fazer um levantamento amplo dos cargos que estariam à disposição dos partidos aliados.

“O pontapé inicial deste levantamento deve ser feito pelo próprio governo, não temos como impor nada, mas estamos lembrando o Executivo que o PR tem uma inflação de bons nomes que podem ajudar a governar e colaborar com a sociedade”, avaliou Emanuel Pinheiro, arriscando que em no máximo 15 dias já se poderá ter essa levantamento junto ao Paiaguás.

Para o também republicano Mauro Savi (licenciado da Assembléi)], tal como praticava o governo Blairo Maggi, a atual gestão deve considerar como primeiro critério de divisão e distribuição dos cargos  “ o fator mais votado”. Savi espera que esse levantamento reveja e aponte nitidamente  os cargos antigos do PR, desde o governo Maggi.

Cobrança forte assim não é coisa só de republicanos. PP e o próprio partido do governador também querem mais espaço para acomodar os que ajudara na campanha vitoriosa de 2010.

“Têm pessoas que estão nos cargos de parlamentares, outros que estão nos cargos e que não são indicação nem de deputados, ou seja,  der repente são antigos secretários que estão tendo mais atenção do governo do que os próprios deputados e isso está causando um descontentamento muito grande aqui na Assembléia”; avaliou o peemedebista Nilson Santos.

A discussão foi a pauta principal da reunião de terça-feira (10)  do Colégio de Líderes,  no Legislativo e foi  bastante para acender o sinal de alerta no Palácio Paiaguás, sede do governo de Mato Grosso.

O secretário da Casa Civil, José Lacerda, está prometendo para esta sexta-feira (13) o resultado detalhado desse levantamento de cargos e, uma reunião dos deputados da base aliada com o governador Silval Barbosa está programada para a próxima terça-feira (17), onde pretende-se zerar o assunto.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Maria do Socorro 11/05/2011

A solução desse caso está na imediata demissão da Sra ACELINA MARQUES,Secretária Adjunta da Casa Civil, mulher do puxa-saco mor João Pedro Marques, o mais escroto dos amigos do poder. ACELINA MARQUES (MULHER DO JORNALISTA CHAPA BRANCA JOÃO PEDRO MARQUES) é uma herança maldita de Blairo Maggi. ACELINA EMPREGOU PARENTES, AMIGOS , ETC... É MUITA GENTE ! Ela tem o mapa de todos os cargos do Governo e quando um dos seus afilhados ou atuais ocupantes de cargos se sentem ameaçados, ela os aconselha a buscar apoio de um dos Deputados para se manterem no cargo. ACELINA PRECISA SER SUBSTITUIDA POR ALGUÉM DO PMDB. ACELINA MARQUES SE QUISER CONTINUAR NO SERVIÇO PÚBLICO VÁ FAZER CONCURSO, CHEGA DE SE VALER DO VASSALO DO JORNALISMO DE MATO GROSSO QUE É O JOÃO PEDRO MARQUES. SILVAL COLOQUE ALGUEM MAIS POLÍTICO E COMPETENTE NESSA FUNÇÃO. OS DEPUTADOS ESTÃO COBERTOS DE RAZÃO !FORA ACELINA !

jaodo medionorte 11/05/2011

este deputado ai , só conversa deixa este aprendiz de verador,que elegeu so com a ajuda dos donos de radio de tangara , ruin de serviço e a melhor coisa e deixar as secetarias para outros partidos

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros