Sábado, 20 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

Justiça Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 09:12 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 09h:12 - A | A

OPERAÇÃO ROTA FINAL

Justiça manda prender filho e nora de ex-deputado acusado de fraudes no setor de transportes

Só Pedro Satélite, dono da Viação Satélite, teria recebido R$ 3,9 milhões em propina para ajudar na "sabotagem" às licitações do novo Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

O juiz João Filho de Almeida Portela, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, determinou as prisões de Andrigo Gaspar Wiegert e Glauciane Vargas Wiegert, filho e nora do ex-deputado estadual Pedro Inacio Wiegert, o Pedro Satélite, que faleceu em decorrência de um câncer em janeiro deste ano. Processo em que foram determinadas as prisões é desdobramento da Operação Rota Final que investigou esquema de fraudes para frustrar licitações no setor do transporte intermunicipal. 

Só Pedro Satélite, dono da Viação Satélite, teria recebido R$ 3,9 milhões em propina para ajudar na 'sabotagem' às licitações. 'Freando' o processo licitatório, as empresas que já atuavam no ramo conseguiam deter o monopólio do serviço, mantendo a precariedade dos serviços de altos lucros. 

Dentre as condutas descobertas na investigação, foi relatado que os envolvidos no esquema produziram “estudos” fraudulentos/inverídicos para tentarem demonstrar a inviabilidade do novo Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso; conseguiram que fossem impostos entraves administrativos contra uma nova concessionária e, ainda, pagaram para que duas vencedoras da Concorrência Pública nº 01/2012 não assinassem os respectivos Contratos de Concessão com o Estado de Mato Grosso.

Pedido de reparação pelos danos causados aos cofres públicos atinge o montante de R$ 86,6 milhões. 

Andrigo Gaspar Wiegert e Glauciane Vargas Wiegert foram denunciados pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa por terem, em tese, parte no esquema. A defesa dos dois chegou a apresentar resposta à acusação, contudo, nem mesmo seus advogados apresentaram à Justiça endereço atualizado dos réus. 

Paradeiro de Andrigo e Glauciane é dado como 'incerto' e, diante disso, houve acolhimento do pedido de prisão preventiva, formulado pelo Ministério Público, para garantir a conveniência da instrução criminal. 

"A postura dos denunciados, de ocultação de seu paradeiro, demonstra a intenção de dificultar a apuração da verdade e a regular instrução processual", apontou o juiz do caso.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros