Justiça Sexta-feira, 29 de Abril de 2011, 22:51 - A | A

Sexta-feira, 29 de Abril de 2011, 22h:51 - A | A

NOVA DESEMBARGADORA

"Continuarei a ser um juiz que não lava as mãos na bacia de Pilatos", jura Erotides

Maria Erotides Kneip Baranjak toma posse no Tribunal de Justiça de Maato Grosso. Marcos Machado será empossado na segunda

DA REDAÇÃO

André Romeu/Agência Phocus
Maria Erotides é empossada pelo presidente do TJMT, Rubens Oliveira, nesta sexta
O atingir o grau máximo da carreira da magistratura estadual, a nova desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip Baranjak asseverou em seu pronunciamento de posse que manterá a mesma postura defendida ao longo dos 26 anos dedicados à magistratura. Parafraseando o penalista Nelson Hungria, a magistrada afirmou será, no segundo grau de jurisdição, o que sempre foi na Primeira Instância: uma juíza que antes de consultar manuais da doutrina ou revistas de direito, se aconselhará com a própria consciência e vai dispor, em qualquer conjuntura, de suficiente bravura moral para não traí-la.

“Continuarei a não temer o contato das paixões, cujo fogo, quando ateado por um fim nobre, constitui o mais belo espetáculo da vida. Continuarei a ser o juiz que, quando reconhece os próprios equívocos, não vacila em confessá-los e emendá-los. Continuarei a detestar o papel de Maria vai com as outras pelo só comodismo de evitar uma discordância. Prosseguirei como juiz que não teme ameaças, nem se afrouxa com lisonjas. Continuarei a ter a coragem inteira da minha justiça, mesmo em face das demasias da autoridade ou dos punhos cerrados da multidão sediciosa. Continuarei a ser um juiz que não lava as mãos na bacia de Pilatos", assinalou Maria Erotides aos presentes, repetindo as frases ditas por Nelson Hungria em sua posse como desembargador do Tribunal de Apelação do Distrito Federal, em 1944.

Na solenidade, a saudação inicial à nova desembargadora, proferida em nome do Tribunal Pleno, foi feita pelo desembargador Teomar de Oliveira Correia, que ressaltou a formação acadêmica da magistrada e, principalmente seu espírito defensor das causas sociais, além do desempenho no Tribunal Popular do Júri, trabalho desenvolvido desde 1992. “É o que o Tribunal de Justiça precisa, de julgadores coerentes e decididos“, pontuou.

Maria Erotides Kneip Baranjak agradeceu as calorosas palavras proferidas pelo desembargador Teomar de Oliveira, que, segundo revelou, foi o primeiro magistrado com quem trabalhou e o juiz com quem aprendeu o zelo pelo julgamento isento das paixões. “Foi seu incentivo amigo que me sustentou nos momentos difíceis, quando, na Diretoria do Foro de Várzea Grande, ousei conclamar a sociedade e os serventuários da Justiça para ampliar e reformar as instalações do fórum local”, lembrou. Sobre a promoção, afirmou ter recebido uma honra divina. “Não há nenhum mérito pessoal nisto: apenas fui honrada por Deus, a quem pertence toda a autoridade! Fui, sim, honrada por Deus, que desenhou o meu projeto de vida e me trouxe das longínquas Minas Gerais para Mato Grosso”, observou.

A magistrada também ressaltou a experiência obtida aos longos dos 19 anos à frente do Tribunal do Júri da Comarca de Várzea Grande, onde, segundo revelou, aprendeu a respeitar o drama humano de milhares de réus e vítimas, testemunhas e famílias. A nova desembargadora agradeceu o apoio recebido dos cidadãos e servidores da Comarca de Várzea Grande, onde exerceu jurisdição durante a maior parte de sua carreira. “A partir de hoje, a sua extensão territorial não se finda nas pontes sobre o rio Cuiabá. Ela se alonga até uma das cadeiras do Tribunal de Justiça”, ressaltou.

A solenidade foi prestigiada por diversas autoridades, entre elas o governador em exercício do Estado, Francisco Daltro, o procurador-geral da Justiça, Marcelo Ferra de Carvalho, o procurador-geral do Estado, Jenz Prochnow, a desembargadora Maria Beatriz Theodoro Gomes (representante do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso), o procurador do Estado Alisson Carvalho de Alencar, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso, Cláudio Stábile, o conselheiro Gonçalo Campos Neto (representante do Tribunal de Contas do Estado), o defensor Márcio Dorileo (representante da Defensoria Pública do Estado), o presidente da Associação Mato-Grossense do Ministério Público, Vinícius Gahyva Martins, o presidente da Associação Mato-Grossense dos Magistrados (Amam), Agamenon Alcântara Moreno Júnior, o secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Osmar Lino Farias, além de desembargadores aposentados, como Benedito Pereira do Nascimento e Licínio Carpinelli Stefani. (As informações são do Tribunal de Justiça)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros