Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

Cidades Segunda-feira, 02 de Maio de 2016, 18:01 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 02 de Maio de 2016, 18h:01 - A | A

PRESO

Suspeito de homicídio tem mandado de prisão cumprido pela DHPP

REDAÇÃO

A Polícia  Judiciária Civil cumpriu mandado de prisão preventiva, na manhã desta segunda-feira (02.05), contra um jovem acusado de participar de um homicídio, ocorrido em fevereiro deste ano, no bairro Novo Milênio, em Cuiabá.

 

Da assessoria/PJC

Delegado Antônio Carlos Araújo DHPP

 

O suspeito, Geovane de Arruda Antenor, 19, conhecido como ’’Vaninho’’, teve a ordem judicial cumprida pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), pelo assassinato ocorrido na tarde do dia 16 de fevereiro, na Avenida da Integração, do bairro Novo Milênio.

 

Na ocasião, a vítima Jacson Ribeiro Amaro, 29, estava em uma mercearia quando foi surpreendida pelo suspeito, que efetuou quatro disparos de arma de fogo de calibre 40, e fugiu em seguida.

 

O principal motivo do homicídio seria uma briga ocorrida no dia anterior ao crime, no campo de futebol do bairro. No decorrer das investigações e com autoria definida, a Polícia Civil representou pelo mandado de prisão preventiva, deferido pela Juíza de Direito da 12ª Vara Criminal da Capital.

 

Entretanto, no dia 09 de abril, depois de troca de informação entre os policiais civis da DHPP com policiais militares do 24º BPM, Giovane foi preso com uma pistola ponto 40 e mais 22 munições. Ele foi autuado por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

 

No dia 25 de abril, Giovane teve a ordem judicial expedida. Nesta segunda-feira (02.05), investigadores da DHPP deram cumprimento a ordem de prisão e conduziram Geovane para ser interrogado pelo delegado de polícia, Antônio Carlos de Araújo, responsável pelas investigações.

 

Em depoimento, o suspeito confessou ter praticado o homicídio, afirmando que o motivo foi uma cobrança de R$ 2 mil, referente à venda da pistola usada no crime, que ele havia adquirido para efetuar assaltos.

 

“Em razão de a vítima ter lhe ameaçado exigindo a arma de volta, e como a vítima lhe devia dinheiro da venda de entorpecente, Geovane resolveu em companhia de outro individuo praticar o homicídio. Ele ainda alegou que os disparos foram feitos pelo coautor da ação criminosa”, disse o delegado de polícia Antônio Carlos de Araujo.

 

Depois de ser ouvido e confessar o crime, o suspeito foi retornou ao Centro de Ressocialização de Cuiabá. “A Polícia Civil irá tomar as medidas necessárias com relação ao coautor”, finalizou o delegado Antônio Carlos de Araújo.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros