Cidades Quinta-feira, 04 de Agosto de 2011, 16:06 - A | A

Quinta-feira, 04 de Agosto de 2011, 16h:06 - A | A

CHAPA ESQUENTOU

Funcionários da Sanecap dão prazo para prefeito recuar nas demissões

Caso não haja decisão em 72 horas, devem entrar em greve 600 servidores e abastecimento na Capital fica comprometido a partir de terça-feira

DA REDAÇÃO

Servidores da Companhia de Abastecimento da Capital (Sancap) decidiram dar prazo de 72 horas para o prefeito de Cuiabá, Chico Galindo, e o presidente da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), Aray Fonseca, recuarem nas demissões de funcionários contratados e os efetivos que foram remanejados para cargos inferiores aos exercidos. Caso não haja manifestação, um indicativo de greve será votado em assembleia geral na tarde de terça-feira (9).

A decisão dos funcionários da Sanecap ocorreu porque tanto prefeito, quanto a diretoria da Sanecap decidiram punir com demissões e perda de cargos quem participou das diversas manifestações contra a privatização da empresa, que pertence ao Município.

O protesto mais recente aconteceu na terça-feira, quando dezenas de manifestantes foram para Câmara pressionar os vereadores para não votarem o novo projeto que cria a agência municipal e posterior privatização dos serviços de água e esgoto da Capital.

Isso porque a Justiça havia tornado nula todas decisões do Parlamento na sessão do dia 12 de julho, quando houve aprovação da polêmica mensagem do Executivo.

Na manhã desta quinta foram demitidas nove pessoas. Mas o próprio presidente admitiu que vai mandar para rua cerca de 240 servidores contratados.

A empresa tem cerca de 600 funcionários e destes, caso a greve seja estabelecida, permanecerão ao menos 180 para manter o sistema funcionando, como exige a lei. A maioria da população de Cuiabá, estimada em 563 mil habitantes, vai ser prejudicada no fornecimento de água tratada. (Colaborou Aliana F. Camargo, por telefone)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros