Domingo, 19 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Brasil Domingo, 28 de Agosto de 2016, 13:39 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Domingo, 28 de Agosto de 2016, 13h:39 - A | A

VAQUINHA

Família tenta arrecadar R$ 50 mil para transferir homem de Belém à UTI da Capital

CORREIO DO ESTADO

Em estado grave em um hospital de Belém, no Pará, Carlos Alberto Aguiar Neri contraiu uma bactéria em uma veia da garganta e precisa ser transferido com urgência para Campo Grande. A família tenta arrecadar R$ 50 mil em uma página de doações para arcar com uma UTI aérea e prosseguir com tratamento.

 

reprodução

Carlos Neri

 

No último dia 8 de agosto, Carlos viajou para a capital paraense à trabalho, quando dores na garganta começaram a incomodar o funcionário de uma agência bancária. No dia 24 de agosto, a situação piorou e ele foi internado.

 

Os médicos do hospital em Belém não souberam informar que tipo de bactéria o atingiu e causou uma grave infecção. “Onde doía inchou e, no hospital, retiraram 700 ml de secreção da garganta e ele teve de ser operado com urgência, aí detectaram que foi uma veia atingida”, disse a mãe de Carlos, Medina Aguiar Souza Neri, de 57 anos, ao Portal Correio do Estado.

 

Ela mora em Campo Grande e luta contra o tempo para conseguir transferir o filho para uma unidade local. “A empresa está dando suporte, mas as despesas estão ficando cada vez mais caras. Não conhecemos ninguém aqui e os médicos não sabem mais o que fazer”, afirmou.

 

Na Capital sul-mato-grossense a família acredita que facilitará o tratamento, pois Carlos está amparado com a família e poderá ficar em uma UTI com profissionais conhecidos. “Ele já está em uma UTI e os médicos informaram que apenas uma unidade aérea pode levá-lo para não correr o risco de algo pior acontecer”, contou Medina.

 

Na página onde o pedido de colaboração foi criada, "Vakinha", até o momento foram doados R$ 1.350 para conseguir a transferência e a família pede contribuição da população. “Estamos desesperados, sem saber o que fazer. Qualquer ajuda será bem vinda”, finalizou.

 

reprodução

vakkinha

 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros