Segunda-Feira, 24 de Fevereiro de 2020, 10h:20

Tamanho do texto A - A+

Alimentação também se aprende na escola!

Por: ELISÂNGELA CARDOSO

Reprodução

Elisangela Cardoso

Segundo dados divulgados ano passado pelo Ministério da Saúde, o Brasil atingiu a maior prevalência de obesidade nos últimos 13 anos. As informações mostram que o País não cumpriu metas internacionais de diminuição da obesidade na população e redução do consumo de refrigerante e suco artificial.

Cuidar do corpo é essencial, assim como respirar, pois é com ele que convivemos diariamente, a consequência desse tratamento adequado  é ter longevidade e saúde, fundamental principalmente quando se chega na terceira idade.

Para isso é necessário fomentar os bons hábitos alimentares entre as crianças e os adolescentes, para que desde cedo aprendam a importância de ter refeições saudáveis.

A escola desempenha um papel considerável na promoção da saúde, por isso o ideal é que até as cantinas sejam adaptadas com mais produtos orgânicos, e menos industrializados. Substituir os refrigerantes, por sucos naturais, frituras por lanches feitos na hora.

Precisamos engajar a família no processo, os pais devem criar um ambiente familiar livre de guloseimas, tentações e alimentos calóricos. Isso serve na hora de montar a lancheirinha das crianças.

Se os pais não têm preocupação com a alimentação, os filhos crescem com o mesmo pensamento e dificilmente terão um estilo de vida saudável.

E quem sabe a prática de uma alimentação mais natural, desperte um novo hobby – cultivar uma horta, quem sabe?!

O resultado é a prevenção de doenças, retardação do envelhecimento, equilíbrio hormonal, combate às dores corporais, melhora do humor e mais disposição e energia.

 

(*) ELISANGELA CARDOSO é diretora na Escola Adventista, formada em Administração e em Pedagogia, pós-graduada em: Aconselhamento Educacional e Familiar, com MBA em Gestão Escolar. Email: diretoria.cap@adventistas.org

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto