Variedades Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 16:07 - A | A

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 16h:07 - A | A

NO RIO DE JANEIRO

Bebê de um ano morre soterrado após desabamento de casa

O DIA

dolgachov/Envato

image

O temporal que assolou a região metropolitana do Rio de Janeiro, na madrugada desta quinta-feira (10), causou alagamentos, queda de muros e desabamentos de casas com uma morte registrada na cidade de São Gonçalo. Uma criança de um ano de idade morreu soterrada após o desabamento da casa onde morava com a família no bairro Paraíso.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 0h03, na Travessa Sebastião Lessa, na Comunidade do Feijão. Ao chegarem ao local, o bebê já foi encontrado morto. A criança foi identificada como Enzo Gabriel, de um ano e sete meses. Os trabalhos dos bombeiros no local terminaram por volta das 5h30.

O corpo da criança foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, de acordo com informações dos Bombeiros. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social está prestando apoio à família. Só naquela comunidade onde Enzo faleceu, quatro casas desabaram e nove estão interditadas pela Defesa Civil. Vizinhos se mobilizaram para abrigar os moradores desses imóveis.

"Passamos uma noite de terror nessa madrugada. Tiramos o pai, a mãe, a menina, mas infelizmente não conseguimos tirar o Enzo, que ficou soterrado e só foi possível tirá-lo com a chegada do bombeiro. A nossa família está muito triste. Nós e muitas pessoas perderam casa. Estou indo agora levar um pouquinho do que me restou, que foi quase nada, somente as roupas, para a residência de amigos e de parentes que abriram as portas para nos ajudar", disse Paulo César, vizinho e primo de Enzo Gabriel, que também perdeu a casa no desabamento.

"Foi tudo muito rápido, corremos para tirá-lo, mas tudo desabou em cima dele", lamentou José Augusto de Souza, avô do menino. "Tentamos ajudar de todas as formas, mas não foi possível, infelizmente", desabafa o vizinho Paulo César Souza.

Chama a atenção o grande volume de lixo acumulado nas encostas e a inexistência de rede de drenagem, fatores que dificultam o escoamento da água pluviais e agravam o risco de deslizamento. Parte da cidade ficou sem luz durante toda a manhã, incluindo a sede da Prefeitura.

Nove casas precisaram ser interditadas na Comunidade do Feijão. Representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Infância e Adolescência (SMDSIA) estiveram no local onde realizaram o cadastro social e o trabalho de conscientização, alertando os moradores que tiveram suas residências interditadas, quanto ao risco de permanecerem no local. Foi feita a oferta de abrigo e eles não aceitaram, alegando que seriam acolhidos em casas de familiares e amigos.

LEIA MAIS: Mulher morre eletrocutada após deixar iPhone cair na banheira

Até o momento, segundo a Defesa Civil, foram registradas 10 ocorrências por causada chuva forte: o desabamento com óbito na Comunidade do Feijão; três quedas de muro, nos bairros Porto Velho, Tribobó e Covanca; três alagamentos nos bairros Venda da Cruz, Gradim e Neves; risco de queda de árvore no Vila Lage; deslizamento de terra no bairro Santa Catarina; e risco de desabamento no Pita.

FONTE: https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2020/12/6044111-bebe-de-um-ano-morre-soterrado-apos-desabamento-de-casa-em-sao-goncalo.html

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram. 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros