Sábado, 22 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,83
libra R$ 5,83

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,83
libra R$ 5,83

Política Sábado, 08 de Dezembro de 2018, 11:32 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sábado, 08 de Dezembro de 2018, 11h:32 - A | A

APÓS SILÊNCIO DE 60 DIAS

Taques nega mudança para Europa, garante passagem de faixa e diz que irá advogar

LEONARDO HEITOR

Exatamente dois meses após ser derrotado nas eleições realizadas em 7 de outubro, o governador Pedro Taques (PSDB) voltou a fazer aparições públicas e falar com jornalistas. Faltando pouco menos de um mês para o final de sua gestão, o atual chefe do Palácio Paiaguás comentou nesta sexta-feira (7), durante um evento na Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt) sobre eleições, obras, o futuro governador e até mesmo seu futuro.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques sorrindo

 

Taques, que tentava a reeleição, ficou com a terceira colocação nas últimas eleições, vencidas pelo ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), ainda no primeiro turno. A segunda colocação ficou com o senador Wellington Fagundes (PR).

 

O governador, que passará a faixa para Mauro Mendes no dia 1º de janeiro de 2019, desmentiu boatos de que não realizaria o gesto ao seu sucessor. Ele também negou que irá passar um período em Portugal e contou que fará o exame para tirar a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil para poder advogar. 

 

Leia a entrevista com o governador Pedro Taques na íntegra:

 

Qual será o futuro do governador, a partir do dia 1º de janeiro de 2019?

 

Minha programação após o governo é de pegar uns 10 dias de férias, pois também tenho direito, né. Vou viajar aqui por perto mesmo e depois volto para Cuiabá para tentar tirar minha carteira da Ordem para advogar e viver. Já aluguei um lugar, com meu futuro sócio, ali no Bosque da Saúde. Também vou dar aula. Fui chamado por quatro lugares para lecionar.

 

O senhor passará a faixa para Mauro Mendes?

 

Sim. Essa polêmica de não passar a faixa nunca existiu. Inclusive é o nosso cerimonial que está cuidando disso. É um absurdo. 

 

Seu nome foi citado na delação do Alan Malouf. Como avalia isso?

 

Dizem que eu teria beneficiado duas empresas com incentivos fiscais, na delação. Uma delas, multamos em R$ 1 bilhão e retiramos os incentivos. A outra, cortamos o incentivo e multamos em R$ 27 milhões.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques preocupado

 

Entregará as obras previstas em seu final de mandato?

 

Temos uma agenda com a reforma e ampliação do Hospital Regional de Sinop, o de Rondonópolis, além da entrega do novo Pronto Socorro e do Cridac, a trincheira da MT-010, o ganha-tempo do Cristo Rei, entre outras.

 

O governador eleito Mauro Mendes afirmou que irá revisar as decisões do Governo nos últimos 90 dias. Como avalia esta declaração?

 

Não tenho nada a dizer. A partir do dia 1º de janeiro o Mauro Mendes é governador e tem toda a liberdade de fazer o que desejar. 

 

Como está a questão do pagamento do FEX?

 

Estamos fazendo tratativas em Brasília, para onde devo ir na segunda-feira, em razão da liberação do Fundo. 

 

Um assunto em debate atualmente é a taxação do agronegócio. Como vê essa questão?

 

Sou contra. Acho que não é produtivo para quem quer crescer e exportar. É uma posição minha e falo isso desde o primeiro dia de governo.

 

O governador Mauro Mendes tem afirmado que o orçamento do ano que vem prevê um rombo de R$ 1,5 bilhão. Como você avalia estes números?

 

Eu recebi o Governo com um déficit maior do que o que estou entregando agora. Isso é absolutamente normal, diante do momento histórico que o país vive.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques preocupado

 

E sobre a Revisão Geral Anual (RGA)?

 

Até o dia 31 de dezembro, sou o governador de Mato Grosso. Embargamos a decisão do Tribunal de Contas do Estado, para ver a posição da corte depois dos embargos.

 

O Estado tem atualmente uma dívida grande com fornecedores. Ela será sanada?

 

A dívida é do Governo do Estado, não do Pedro Taques. Existe o princípio da continuidade. Ninguém termina tudo sem dívidas. 

 

E em relação a suas dívidas de campanha?

 

O PSDB nacional, através do Geraldo Alckmin, autorizou o partido a pagar. Eu não tenho dinheiro.

 

Porque acha que não foi reeleito?

 

Porque não fui reeleito? Porque não tive votos suficientes. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Benedito costa 08/12/2018

Eita Pedro Taques! Continua arrogante mesmo perdendo. Seu maior erro foi justamente essa parte de ser prepotente, arrogante, nariz empinado. Perdeu a eleição porque o povo não quis mais você no comando e não porque teve voto insuficiente.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros