Quinta-Feira, 21 de Maio de 2020, 17h:40

Tamanho do texto A - A+

Secretário de Emanuel rebate chefe da Casa Civil e dispara: "Omisso falastrão"

Por: JOELMA PONTES

O secretário municipal interino de Governo, Lincoln Sardinha, rebateu as criticas feitas pelo chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, nesta quinta-feira (21), que questionou o destino do recurso federal na ordem de R$ 25 milhões, para enfrentamento da Covid-19, coronavírus. Lincon, diz enxergar com o extremo lamento a postura do Governo do Estado, quem tem transformado medidas em prol da população em embate político e ainda disparou contra o gestor. “Fica a indagação: Mauro Carvalho, por que não te calas? É melhor ser um gestor que age sempre em defesa do povo do que um omisso falastrão”.

reprodução

lincon sardinha

O gestor municipal foi além, ao acusar a gestão Mauro Mendes (DEM), de desconstruir os resultados de Cuiabá em relação ao combate à covid-19. A Capital mato-grossense, sengundo levantamento do Ministério da Saúde (MS), está em último lugar na lista das capitais brasileiras infectadas pelo coronavírus.

“O governo criticou até a maneira planejada e responsável com que o isolamento social foi adotado na cidade. Sem o distanciamento, que é a atitude mais eficiente no combate ao coronavírus, quantas vidas mais teriam sido perdidas? Definitivamente, esse governo carece de sensibilidade social”.

Lincon disse que o município tem feito seu dever de casa, no combate ao novo coronavírus e que o mesmo deveria ser feito pelo Estado, sugerindo que o governo deveria se ocupar mais em criar mecanismos de combate à pandemia a em vez de tentar politizar um momento no qual o drama de milhares de famílias deveria se sobrepor a qualquer animosidade.

“A prefeitura está fazendo seu dever de casa, deu o exemplo mediante a suspensão do pagamento da verba indenizatória do prefeito, vice e secretários. Economia de R$660 mil que será traduzida em um justo auxílio a mais de 1600 mil trabalhadores”, diz o secretário, referindo-se ao programa Renda Solidária Cuiabá.

O secretário de governo de Emanuel Pinheiro ainda questionou um recurso na ordem de R$ R$ 2 milhões por ano que estaria, supostamente, bancando despesas de Mauro Carvalho e Mauro Mendes. “Não é a prefeitura que deve explicar a destinação de quase R$ 2 milhões por ano com uma verba secreta para atender despesas pessoais de vossa senhoria (Mauro Carvalho) e do governador, que poderia ser empregada em medidas de enfrentamento à pandemia”, disparou o gestor municipal.  

Mais ataques

Ainda nesta quarta, o Chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, afirmou que todos os leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e de enfermarias ostentados por Pinheiro durante transmissão ao vivo de hoje já existiam antes da pandemia. Sendo assim, a prefeitura de Cuiabá supostamente não teria implementado nenhuma nova unidade de atendimento aos pacientes, mesmo recebendo recursos milionários para tal medida.

Sobre o assunto, o braço-direito de Emanuel Pinheiro, esclareceu que a gestão tem prezando pela economicidade e que o município faz a utilização de dois espaços já existentes para tratamento de pacientes infectados pela Covid. O primeiro decorreu da transformação do antigo Pronto-Socorro de Cuiabá (HPSMC) em Hospital Referência à Covid-19. O segundo é a nova UPA do Verdão.

“Não foram medidas unilaterais. Apenas para citar algumas delas: nos preocupamos em garantir a alimentação aos estudantes, em cuidar dos nossos servidores que estão na linha de frente no combate à pandemia, criando um programa inédito de saúde mental, além da prorrogação do pagamento do IPTU e ISSQN, e a suspensão do corte no fornecimento de água. Eu fico aqui me perguntando, por que se ocupa em responder onde estão os R$10 milhões enviados à Santa Casa? Nossa gestão, pode ter certeza, prima pela transparência e zelo na prestação de contas sempre feitas aos órgãos de controle e à sociedade”, concluiu.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei