Política Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011, 19:50 - A | A

Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011, 19h:50 - A | A

SAÚDE PÚBLICA

Riva se posiciona contra estadualização de prontos-socorros em Cuiabá e Várzea Grande

Presidente da Assembleia Legislativa sugere que Governo do Estado aplique parte de empréstimo junto ao BNDES na construção de um grande hospital em Cuiabá

 

Mayke Toscano/Hipernotícias

Secretário de Saúde Pedro Henry se licenciou do cargo e retronou à Câmara Federal para acompanhar discussão de emendas parlamentares

 

O presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD) disse que é contrário à estadualização dos prontos-socorros de Cuiabá e Várzea Grande e, consequentemente, defende que o governador Silval Babosa (PMDB) invista parte do dinheiro liberado para empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), cujo valor total é de RS 1,5 bilhão, na construção de um grande um hospital na Capital.

“Acho que cada um deve assumir sua responsabilidade e não concordo que o Estado assuma os dois prontos-socorros e tenho certeza que se o governador pegar aí R$ 150 milhões desse dinheiro (10% do empréstimo) e investir na construção de um grande hospital aqui em Cuiabá par atender a demanda que infelizmente é muito grande”, argumentou Riva.

O parlamentar também disse que as Organizações Sociais (OS), sistema de gerenciamento da Saúde Pública implantado pelo governo do Estado, ainda não deram certo em Mato Grosso.

“As OSS ainda precisam se firmar, penso que se for para pagar três vezes mais que SUS (Sistema Único de Saúde) não precisamos de OS”, opinou.
Riva tem se posicionado reticente quanto às Organizações Sociais desde sua implantação no Estado pelo secretário de Saúde, deputado federal licenciado Pedro Henry (PP).

Entretanto, Henry conta com total apoio do governador Silval Barbosa, na implementação desse modelo de gestão.

LICENÇA

Para efeito de encaminhamento de emendar parlamenta, Pedro Henry está licenciado da Secretaria de Saúde (SES) desde esta quarta-feira (16), conforme publicação no Diário Oficial do Estado de sexta-feira (11).

A expectativa no Palácio Paiaguás é que Pedro Henry reassuma SES em no máximo 15 dias, assim que ele der encaminhamento à emenda a que tem direito, no valor de R$ 13 milhões. Está respondendo pela secretaria o adjunto Vander Fernandes.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros