Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 15h:59

Tamanho do texto A - A+

Riva é notificado e prestará depoimento à CPI do Paletó nesta quarta-feira

Por: KHAYO RIBEIRO

O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) José Geraldo Riva foi notificado e prestará depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, nesta quarta-feira (03). Na oitiva, ele poderá trazer novas informações sobre o esquema de “mensalinho” na Casa de Leis, do qual o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), supostamente poderia ter sido beneficiado.

Alan Cosme/HiperNoticias

jose riva

Ex-deputado estadual José Geraldo Riva

Na última semana, segundo declaração do presidente da CPI, vereador Marcelo Bussiki, houve diversas tentativas de notificar Riva para comparecimento à oitiva. Contudo, toda vez que o requerimento era enviado o ex-deputado nunca estava em casa para ser notificado. Superada a situação, Riva foi oficialmente convocado e deverá comparecer à Câmara na quarta-feira.

Na tarde desta segunda-feira (01), Bussiki se reuniu com o advogado de Riva para tratar sobre a publicidade da sessão, que poderia ser privada por conta da delação premiada prestada por Riva ao Ministério Público de Mato Grosso correr em segredo de justiça. Contudo, conforme apurado pelo HNT/HiperNotícias, a oitiva será transmitida ao público pelas redes sociais.

Ainda na quarta-feira, a Câmara Municipal deverá apreciar o requerimento que pede a convocação da empresária Bárbara Pinheiro, esposa de Marco Polo de Freitas, o “Popó”, que é irmão do prefeito de Cuiabá.

O requerimento para convocação de Bárbara na CPI foi feito pelo vereador Felipe Wellaton (Cidadania), após Popó se negar a comparecer à oitiva na última quarta-feira (27) sob alegação de que era parente próximo do prefeito. Com a negativa de Marco Polo, o parlamentar convocou a cunhada de Pinheiro.

Caso convocada, Bárbara poderá prestar informações sobre a relação da empresa de pesquisa da qual ela e Popó são donos e os maços de dinheiro recebidos pelo prefeito de Cuiabá – episódio que foi gravado, gerou polêmica e deu início a CPI.

No vídeo em questão, Emanuel Pinheiro aparece recebendo um montante significativo de dinheiro ao ponto que maços caem ao chão. Segundo delação premiada prestada pelo ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, o dinheiro seria fruta de propina e o prefeito, que era deputado estadual na época, seria um dos receptores do esquema de mensalinho da ALMT.

Leia mais:

Vereador pede a convocação de cunhada de Emanuel Pinheiro à CPI do Paletó

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei