Política Terça-feira, 28 de Junho de 2022, 08:24 - A | A

Terça-feira, 28 de Junho de 2022, 08h:24 - A | A

ELEIÇÕES 2022

Núcleo Integrado de Inteligência atuará no combate aos crimes eleitorais

Iniciativa será formalizada por meio de um termo de cooperação, visando à atuação preventiva

DA REDAÇÃO

Reprodução

image

A criação de um Núcleo Integrado de Inteligência para as Eleições 2022 é mais uma estratégia resultante do trabalho conjunto do Gabinete de Gestão Integrada de Segurança (GGI) do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT). A iniciativa será formalizada por meio de um termo de cooperação, visando à atuação preventiva e integrada no combate aos crimes eleitorais.

A proposta do Núcleo foi aprovada na última semana, com a participação dos órgãos que compõem o grupo: Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Exército Brasileiro, Marinha do Brasil, Agência Brasileira de Inteligência, Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp)-MT, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Perícia Oficial e Identificação Técnica, Guarda Municipal de Várzea Grande, Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá, além da Fundação Nacional do Índio (Funai) e Energisa.

O presidente do TRE-MT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, destacou que o plano de segurança para as eleições 2022 está em estágio avançado. “Pudemos constatar que o plano está bem adiantado e agora vamos firmar um termo de cooperação para a instituição do Núcleo, por meio do qual teremos uma segurança muito maior, podendo fazer uma fiscalização mais efetiva da questão eleitoral, como a compra de votos, por exemplo e outros crimes eleitorais”.

De acordo com o secretário adjunto de Inteligência da Sesp-MT, Wylton Massao Ohara, o Núcleo irá congregar as forças de inteligência no âmbito federal e estadual para que, em conjunto, façam as análises das informações constantes nas denúncias que chegam à Ouvidoria do TRE-MT. “Dessa forma, iremos checar a veracidade e fazer o encaminhamento para os órgãos de prevenção e repressão aos crimes eleitorais”.

O juiz auxiliar da presidência e coordenador do GGI, Bruno D’Oliveira Marques, ressaltou que o Núcleo de Inteligência será primordial para a prevenção e enfretamento aos ilícitos eleitorais. “O GGI já tem praticamente todo o planejamento no que diz respeito à segurança do pleito, com a formatação do plano de atuação de cada uma das forças de segurança. Além disso, as inteligências desses órgãos, incluindo a Abin (Agência Brasileira de Inteligência), irão trabalhar conjuntamente e terão como foco específico as denúncias de ilícitos eleitorais encaminhadas à Justiça Eleitoral”.

Para o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, Sérgio Sadao Mori, o trabalho integrado entre os setores de inteligência das forças de segurança é fundamental, uma vez que o foco na prevenção contribui para inibir crimes eleitorais. “Aprovamos essa proposta de criação do Núcleo, que será importante para nos prepararmos para os possíveis ilícitos eleitorais. Essa será uma atuação fundamental no sentido de nos anteciparmos aos problemas que podem vir a ocorrer nas eleições”.

Além dos órgãos citados, também integram o GGI o Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE), Águas Cuiabá, OI Telecomunicações e Net/Claro/Embratel.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros