Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

Política Segunda-feira, 18 de Março de 2024, 17:55 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 18 de Março de 2024, 17h:55 - A | A

POR SAÚDE MENTAL

Adjunto da Saúde de Cuiabá pede exoneração apontando "falta de perspectivas de melhora" no setor

Oscarlino Alves estava no cargo desde janeiro deste ano; ele deve retornar à sua função na SES-MT

VANESSA ARAUJO
Da Redação

O secretário adjunto de Atenção Especializada em Vigilância Pública de Cuiabá, Oscarlino Alves de Arruda Júnior, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (18) por meio de um ofício encaminhado ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). Em ofício, Oscarlino afirmou que um dos motivos pelos quais pediu demissão é sua saúde mental e a falta de perspectivas de melhora no cenário da Saúde cuiabana.

LEIA MAIS: Emanuel nomeia secretários-adjuntos da Saúde, mas titular da Pasta segue indefinido

O secretário adjunto havia assumido o cargo na Saúde em janeiro deste ano.

“Sempre fui movido a desafios, mas como a presente situação de falta de perspectivas de melhoras foge à minha governabilidade, por respeito aos meus colegas servidores públicos e amigos que confiam em mim, amor a minha profissão em 20 anos de SUS, como servidor público de carreira do Estado de Mato Grosso, e por prevenção à minha saúde mental, junto a minha família tomei a presente decisão de colocar o cargo à disposição”, alegou no documento.

Segundo Oscarlino, ele conversou com o chefe da Pasta, o secretário Deiver Teixeira, e relatou as situações enfrentadas no dia a dia com fornecedores com pagamento em atraso e a falta de medicamentos.

“Em pouco mais de 2,5 meses de gestão, conversei por diversas vezes com o digno Secretário da pasta, Prof. Dr. Deiver Teixeira, relatando todas as dificuldades internas e externas enfrentadas no dia a dia junto aos prestadores de serviços e fornecedores com contas (faturas) em atraso, com destaque as dificuldades para regularização dos estoques de medicamentos e pagamentos dos plantões extras e incentivos dos médicos do nosso quadro (concursados e de processos seletivos, além de pagamentos a Cooperativa de médicos que complementam nossas escalas de plantões nas 04 (quatro) UPAS e Policlinica do Pedra 90, ainda sem sucesso”, apontou no ofício.

Oscarlino é servidor de carreira da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) e deve retornar ao seu antigo cargo. 

“Solicito as providências administrativas cabíveis de pagar os reembolsos de salários em atraso ao Estado, da publicação da exoneração a meu pedido e oficio a SES/MT”, finalizou o ex-secretário.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros