Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 15h:44

Tamanho do texto A - A+

"É um caso delicado", diz delegado sobre morte de maior assaltante de banco do Brasil

Por: LUIS VINICIUS

“É um caso delicado", afirmou o delegado Henrique Trevisan em relação às mortes do maior assaltante de banco do Brasil, Lindomar Alves de Almeida, conhecido como Nenezão, e do empresário Geraldo Silveira de Souza Júnior, 36 anos, executatos no dia 3 de janeiro, na cidade de Nobres (150 km de Cuiabá).

lindomar.jpg

 

Ao HNT / HiperNotícias, a autoridade policial explicou que os trabalhos da Polícia Civil estão sendo realizado para tentar identificar os executores. No entanto, o policial informou que ainda não é possível repassar detalhes, visto que os trabalhos investigativos seguem em curso.

“Foram colhidos alguns elementos, mas neste momento de investigação eu não posso passar nenhum tipo de informação. O que eu posso dizer é que avançou um pouco, mas os detalhes não posso revelar. Qualquer informação que eu repassar pode atrapalhar os trabalhos investigativos. É um caso bastante delicado”.

A dupla foi executada próximo a uma barbearia no Centro de Nobres. As vítimas, segundo a Polícia Militar, estavam em uma caminhonete Toyota Hilux e por volta das 10h15 estacionaram o veículo na Rua Cuiabá. Logo depois, um veículo de cor branca, de modelo não identificado, parou logo atrás.

Dois homens encapuzados desceram do carro, se aproximaram das vítimas e atiraram diversas vezes. Os militares informaram que os assassinos estavam com armas de grosso calibre.

“O inquérito para apurar as mortes está aberto e os trabalhos investigativos também. Nós estamos colhendo as provas, estamos caminhando. É difícil prometer algo em um prazo determinado, mas é bem provável que daqui a algum tempo nós vamos conseguir concluir”, disse o delegado à reportagem.

Passados pouco mais de 20 dias, a Polícia Civil ainda não prendeu ninguém suspeito de envolvimento na dupla execução. O caso continua sendo investigado.

Ficha criminal

Lindomar é considerado o maior ladrão de bancos do país e especialista na modalidade “Novo Cangaço", em várias cidades. O criminoso foi preso em 2012, na cidade de Feira de Santana (BA), durante a "Operação Lampião", deflagrada por policiais de Mato Grosso e da Bahia.

O bandido participou também de um grupo de presos que, no dia 12 de agosto de 2012, explodiu parte do muro da Penitenciária Central do Estado (PCE), localizada no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

Ataque a carro-forte

Além de assaltos a banco, Lindomar participou de ataques a carro-forte, em 2013. Em uma das ações criminosas, cinco homens armados com fuzis explodiram um carro-forte, na BR 163.

A Polícia calcula que a quadrilha levou pelo menos R$ 100 mil. O carro iria abastecer agências dos Correios que funcionam posto de pagamento do Banco do Brasil, em algumas cidades do Norte de Mato Grosso.

 

Leia mais 

 

Maior ladrão de banco do Brasil é executado em Nobres

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei