Mundo Sábado, 15 de Outubro de 2011, 07:46 - A | A

Sábado, 15 de Outubro de 2011, 07h:46 - A | A

ATAQUE

Choques entre polícia e manifestantes deixam sete mortos no Iêmen

Testemunhas dizem que forças de segurança atiraram contra opositores do governo

PORTAL R7

Ao menos sete manifestantes morreram neste sábado (15) no Iêmen baleadas pela polícia, que dissolveu um protesto contra o regime de Ali Abdullah Saleh no centro de Sana, a capital do país, informaram fontes de um hospital.

De acordo com médicos do hospital de campanha da praça Al Taguir (Mudança), epicentro das revoltas antigovernamentais, dezenas de pessoas ficaram feridas e manifestantes foram internados com princípio de asfixia devido ao gás lacrimogêneo usado pela polícia.

De acordo com a agência de notícias Efe, os policiais usaram jatos d'água, atiraram para o ar e lançaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que em contrapartida jogavam pedras e coquetéis molotov contra os agentes.

A polícia evitou que a passeata organizada para protestar contra o governo passasse pela avenida Al Zobeiri em direção a um ponto próximo à casa do general Ahmad Ali Abdullah Saleh, filho do presidente.

Os agentes se mobilizaram junto aos prédios do governo na área. Desde 27 de janeiro, o Iêmen vive uma revolta popular contra o regime de Saleh. O líder retornou de surpresa ao país em 23 de setembro, após passar por um período de recuperação na Arábia Saudita durante mais de três meses devido a graves ferimentos que sofreu em um atentado em Sana.

Em seu retorno, o líder voltou a se comprometer com a transferência pacífica do poder que figura em um plano do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) e pediu aos opositores que o alcancem mediante eleições.

Saleh é presidente do Iêmen desde a unificação entre o norte e o sul, em 1990, mas desde 1978 já era o governante do Iêmen do Norte.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros