Justiça Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011, 18:44 - A | A

Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011, 18h:44 - A | A

DISCRIMINAÇÃO

STF condena concessionária em Cuiabá a pagar indenização

Saga Veículos vetou trabalho de empresário por ele ser homossexual; caso aconteceu em 2007

UOL

 

Foto da Internet

Ministro Luiz Fux foi quem decidiu pela condenação da Saga Veículos por preconceito contra Menotti Griggi

 

Uma concessionária de veículos em Cuiabá foi condenada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a pagar indenização de R$ 15 mil por danos morais ao empresário Menotti Reiners Griggi. A revendedora da Ford, a Saga Veículos, vetou a participação de Menotti em um vídeo comercial da empresa pelo fato dele ser homossexual.

A ação inicial foi movida em 2008 no Juizado Especial de Cuiabá. Depois, a Turma Recursal decidiu que o processo seguiria para o STF, onde ficou parado por três anos. O ministro Luiz Fux foi quem decidiu, no dia 6 de setembro, pela condenação da concessionária da Ford em Cuiabá.

Menotti Griggi, que é dono de uma casa noturna frequentada pela comunidade gay em Cuiabá, disse que foi chamado para participar de um comercial produzido por uma empresa de publicidade, contratada pela concessionária em setembro de 2007.

No dia marcado para a gravação do comercial, Menotti chegou na empresa de publicidade e foi informado que a concessionária havia cancelado a peça publicitária. O empresário, que faria o papel de um pai de família no comercial, tentou saber o que de fato havia acontecido e foi informado, após muita insistência, de que o perfil dele tinha sido vetado pela diretoria da Saga Veículos.

Menotti soube que a gerente da concessionária, Adriane Palmeira de Oliveira, foi a autora do veto. O motivo, segundo o empresário, foi pelo fato dele ser homossexual. “Senti-me ofendido, chocado e transtornado por causa disso. Trabalho há 16 anos com o público gay e isso nunca havia acontecido comigo”. Depois, Menotti ainda procurou explicações na concessionária, mas não foi recebido pela diretoria.

Após o episódio, o empresário foi ao Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) e registrou um boletim de ocorrência. Na primeira audiência, a defesa da concessionária não aceitou os argumentos. À época, o advogado de Menotti havia pedido o pagamento de 40 salários mínimos (R$ 21.800 em valores atualizados), que é o teto de indenização em juizados especiais, o que também não foi aceito.

OUTRO LADO

O gerente comercial da Saga Veículos, Raphael Serra, disse que a decisão de vetar Menotti Griggi no vídeo partiu exclusivamente de Adriana Palmeira de Oliveira que, na época, era quem comandava a concessionária. “Foi uma atitude sem qualquer nexo, equivocada, sem qualquer planejamento”, alega.

Segundo Raphael, a ex-gerente da concessionária foi demitida 40 dias depois da entrada da empresa no mercado em Cuiabá, em agosto de 2007. “Ela (Adriana) cometeu sucessivos erros, entre eles o mais grave que foi esse de preconceito”, afirma.

Raphael fez questão de citar que a Saga Veículos é avaliada "como uma das melhores concessionárias pela Ford e é citada por revista especializadas em relação á forma como trata seus clientes, colaboradores e fornecedores".

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros