Sábado, 13 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,95
libra R$ 5,95

Justiça Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 10:57 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 21 de Junho de 2024, 10h:57 - A | A

JUSTIÇA DETERMINOU PRISÕES

Defesa de filho e nora de ex-deputado cita equívoco em decisão e pede revogação de mandado

As prisões foram determinadas para garantia da instrução criminal sob o argumento de que ambos estariam em "paradeiro desconhecido". A defesa, porém, recorreu na segunda instância alegando uma série de contradições na decisão

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

A defesa de Andrigo Gaspar Wiegert e Glauciane Vargas Wiegert pediu a imediata expedição de contramandado de prisão em favor do casal. Os dois tiveram as prisões decretadas na noite desta quinta-feira (20), por decisão da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. O advogado que representa Andrigo e Glauciane, porém, aponta uma série de equívocos na decisão. 

As prisões foram determinadas para garantia da instrução criminal sob o argumento de que ambos estariam em 'paradeiro desconhecido'. A defesa recorreu na segunda instância, alegando uma série de contradições na decisão. A primeira delas envolvendo a menção de tráfico de drogas com 'combustível' para outras práticas delitivas, sendo que Andrigo e Glauciane são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro. 

LEIA MAIS: Justiça manda prender filho e nora de ex-deputado acusado de fraudes no setor de transportes

Artur Osti, que advoga para a dupla, também questiona que, ao mesmo tempo em que diz que os réus estão em paradeiro incerto, a decisão reconhece que ambos compareceram voluntariamente aos autos do processo pedindo a concessão de prazo para apresentação de defesa.

Assinala ainda para a existência de outros corréus cuja citação também não foi cumprida, mas que não tiveram as prisões decretadas. Assim como coloca Andrigo Gaspar Wiegert e Glauciane Vargas Wiegert em posição mais grave que aquela enfrentada pelo suposto líder da organização criminosa investigada da 'Operação Rota Final', Eder Pinheiro que, além de se encontrar em liberdade, teve o passaporte devolvido recentemente.

"Em resumo, se o ponto nevrálgico da decisão de prisão era o desconhecimento do endereço dos pacientes, agora ele é de um todo conhecido, inclusive do Juízo do processo que os pacientes nunca souberam que existia eis que ainda não citados", pontua ao desembargador plantonista.

O habeas corpus depende de decisão. 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros