Terça-Feira, 26 de Novembro de 2019, 09h:21

Tamanho do texto A - A+

Perda auditiva pode provocar ansiedade, estresse e até depressão, alerta fonoaudióloga

O aparelho auditivo, num trabalho integrado entre família, paciente e profissional, devolve a boa comunicação e consequentemente bem-estar e qualidade de vida

Por: REDAÇÃO

Não escutar aprisiona, separa, isola e paralisa. Inúmeras experiências são deixadas de lado pela dificuldade de ouvir. Em Mato Grosso, de acordo com o Ministério da Saúde, existem mais de cem mil pessoas com alguma dificuldade para escutar. Esse mal ainda é responsável por provocar tristeza, ansiedade e estresse, levando à depressão, doença que já atinge 300 milhões de pessoas em todo o mundo.
 
Trazer de volta a possibilidade de viver melhor, de forma libertadora é o desejo de quem passa por isso, mas muitas vezes não sabe que é possível. Hoje, diversas estratégias são utilizadas por profissionais da saúde para ajudar um paciente a voltar ouvir. A indicação do aparelho auditivo é uma das mais comuns.
 
Samia Helena - Audax
A fonoaudióloga Samia Ribeiro explica que quando as vias auditivas não são estimuladas, elas acabam perdendo a capacidade de processar os sons, fato que contribui para dificuldades de atenção e memória. O aparelho auditivo, num trabalho integrado entre família, paciente e profissional, devolve a boa comunicação e consequentemente bem-estar e qualidade de vida. "É difícil encontrar o tratamento de forma integrada em Mato Grosso e até mesmo no Brasil. Por isso, trabalho humanizando a relação com o paciente e tecnologia, através de um acompanhamento constante e individual, entendendo a necessidade de cada um, o que proporciona mais resultado. Em alguns casos, há necessidade de treinamento para que o paciente possa reaprender a ouvir”, pontua.
 

“Não é preciso esperar ficar surdo, ou perder parte da audição para buscar ajuda. Os aparelhos estão disponíveis para todas as idades, para todo tipo de perda sonora, discretos e acessíveis para aquisição”

Ainda de acordo com a profissional, a perda auditiva pode provocar malefícios não apenas físicos, mas psicológicos também. “Baixo autoestima, pouco convívio social, e até depressão são ocasionados quando não se ouve bem. O diagnóstico precoce e tratamento adequado são essenciais para controlar os impactos iniciais e avançados. “Não é preciso esperar ficar surdo, ou perder parte da audição para buscar ajuda. Os aparelhos estão disponíveis para todas as idades, para todo tipo de perda sonora, discretos e acessíveis para aquisição”, dispara.
 
Vale destacar que em algum momento da vida, todos estão sujeitos a lidar com a perda auditiva. De acordo com a OMS, cerca de 1,1 bilhão da população mundial dos 12 aos 35 anos tem chances de apresentar perda de audição nos próximos anos.   “Meus pacientes usufruem de um protocolo único alinhando aparelhos auditivos líder do mercado, produzidos por cientistas em um Centro de Pesquisa de Audição, na Califórnia. Somos únicos em Mato Grosso com a tecnologia”, enfatiza Samia, responsável pela Audax Aparelhos Auditivos.
 
Genuinamente mato-grossense, a Audax está no estado há 10 anos e busca devolver ao paciente toda a interação com o mundo, oferecendo aparelhos auditivos, produtos para tratamento do Zumbido e acessórios.  “Nossa missão é melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas atendidas pela Audax, levando a melhor experiência auditiva, de forma personalizada e humanizada, conectando-as com o mundo”, afirma a profissional.
 

Serviço
Localizada em Cuiabá, atende em dois endereços:
Loja 01: Rua Cândido Mariano, - Centro Norte (65) 3625-5463
Loja 02: Av. Cel. Escolástico, 210 - Lixeira (65) 2127-2040

 
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei