Domingo, 19 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Política Domingo, 12 de Maio de 2024, 09:24 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Domingo, 12 de Maio de 2024, 09h:24 - A | A

MATERNIDADE ABREVIADA

Amália Barros sonhava ser mãe e decidiu retirar nódulo do pâncreas para implantar óvulos

O presidente do PL em MT, Ananias Filho, revelou ao que a deputada federal planejava se ausentar da Câmara por quatro meses para cuidar do bebê

CAMILA RIBEIRO
Da Redação

A deputada federal Amália Barros (PL) "sonhava ser mãe", afirmou o presidente do PL em Mato Grosso ao HNT, Ananias Filho. A parlamentar planejava engravidar ainda em 2024 e já havia feito a coleta de óvulos para a implantação. Foi durante a bateria de exames para investigar sua saúde que os médicos descobriram o tumor no pâncreas que implicou na sequência de cirurgias que a levou a morte. Amália que decidiu ser submetida aos procedimentos. Depois de 11 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a deputada faleceu na madrugada deste domingo (12), no Dia das Mães. 

LEIA MAIS: Amália Barros será sepultada em Mogi Mirim, em São Paulo, onde pai está enterrado

Ananias Filho revelou à reportagem que a biopsia atestou que o tumor era benigno. Os médicos sugeriram uma abordagem menos invasiva, no entanto, o nódulo não diminuiu. Determinada a engravidar, Amália optou pela retirada da formação.

O hospital escolhido foi o Vila Nova Star, em São Paulo, referência em tratamentos de alta complexidade. O médico responsável concedeu atestado de 15 dias, porém, a evolução do quadro de saúde acabou evoluindo na contramão do esperado. 

"A Amália e o esposo dela, o Thiago Boava, já haviam coletado o material para fazer a implantação dos óvulos e foi durante os exames que descobriram o nódulo no pâncreas. Fizeram o tratamento para não retirar o tumo, mas ele não regrediu e a própria Amália tomou a decisão que era para retirar, autorizando a cirurgia", revelou Ananinas Filho ao Hipernotícias por telefone. 

Amigo pessoal da deputada, o presidente foi uma das primeiras pessoas dentro do partido a saber dos futuros planos do casal. Segundo Ananias, Amália pretendia se afastar da Câmara dos Deputados, em Brasília, por quatro meses após o parto para cuidar do bebê. 

"Ela compartilhou comigo esse sonho de ser mãe e disse que sua intenção era de se afastar por quatro meses para cuidar da 'cria'. É mesmo muito triste ver que ela não pode realizar esse desejo", lamentou o presidente do PL. 

VELÓRIO E SEPULTAMENTO

O velório e o sepultamento da deputada federal Amália Barros serão realizados nesta segunda-feira (13) na sua cidade natal, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo, onde o pai da parlamentar, Bino Barros, está enterrado. O esposo dela, Thiago Boava, ficou responsável pelo processos para a liberação do corpo e o translado foi autorizado. O presidente comitiva de políticos de Mato Grosso vai viajar a SP para acompanhar o cortejo.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros