Economia Segunda-feira, 23 de Maio de 2011, 18:04 - A | A

Segunda-feira, 23 de Maio de 2011, 18h:04 - A | A

Brasil e Argentina debatem problemas no comércio bilateral

Há duas semanas, o governo brasileiro decidiu suspender a licença automática para os automóveis importados da Argentina, do mesmo jeito que o governo argentino fez com produtos brasileiros

DA AGÊNCIA BRASIL

Brasília – As negociações para solucionar os problemas das barreiras comerciais entre o Brasil e a Argentina começaram hoje (23), em Buenos Aires, com a reunião dos secretários da Indústria e Comércio Exterior do Brasil, Alessandro Teixeira, e da Argentina, Eduardo Bianchi. A secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) também participa do encontro que termina amanhã (24).

Há duas semanas, o governo brasileiro decidiu suspender a licença automática para os automóveis importados da Argentina, lançando mão da mesma regra que o governo argentino adotou em relação aos produtos brasileiros que ficam retidos na fronteira, ou seja, fazendo uso de uma autorização que demora 60 dias para os produtos serem liberados.

Segundo um técnico do MDIC, o objetivo da reunião é sair com um acordo fechado e, com isso, evitar desentendimentos entre os ministros, Fernando Pimentel e Débora Giorgi. De acordo com esse técnico, o Brasil não está disposto a flexibilizar a regra de licença não automáticas sem a contrapartida do governo argentino.

Atualmente, produtos de 600 setores estão fora da licença automática na Argentina. Empresários de vários segmentos reclamam do embarreiramento feito pelo governo argentino aos produtos brasileiros. Além disso, alguns prazos ultrapassam o limite máximo de 60 dias permitido pela Organização Mundial do Comércio (OMC), o que inviabiliza o intercâmbio comercial entre os países.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros