Copa Pantanal Sexta-feira, 15 de Abril de 2011, 22:31 - A | A

Sexta-feira, 15 de Abril de 2011, 22h:31 - A | A

Silval comunica membros da Agecopa sobre ida de Eder, mas não obtem garantia de apoio

França e Yênes não vão à reunião, o que indica que nem tudo será um mar de rosas par ao novo presidente na Agecopa. Nome para Casa Civil ainda indefinido

KLEBER LIMA E PAULO COELHO

 

Marcos Negrini/Secom/MT/Arquivo
Reunião entre governador e Silval, nesta sexta, contou com duas asuências e uma certeza: convivência de Eder com os demais diretores não será tranquila
O governador Silval Barbosa convocou os seis diretores da Agecopa para uma reunião no final da tarde desta sexta (15), na qual comunicou-lhes que estava indicando o atual secretário da Casa Civil, Eder Moraes, para presidir a autarquia, e, ao mesmo, pedir seu apoio para o recepcionarem bem.

A reunião, contudo, não saiu como o governador esperava, conforme Hipernoticias apurou. Primeiro, dois dos seis diretores não atenderam à convocação de Silval (Roberto França e Yênes Magalhães). A justificativa das ausências, informada ao governador pelos quatro que compareceram (Carlos Brito, Yuri Bastos, Jeferson Castro e Agripino Bonilha), foi a de que eles não se sentiam à vontade para a reunião, porque não estavam satisfeitos com o tratamento recebido por parte do governo durante a crise que envolve a agência.

No fundo, eles queriam evitar um encontro com Eder, a quem atribuem as principais ações de desmoralização da Agecopa nos últimos dias. Contudo, Eder não participou da reunião. Ficou em seu gabinete enquanto Silval conversava com os diretores.

Assim que receberam o convite de Silval, no início da tarde, os seis diretores se reuniram na própria Agecopa para discutir se iriam ou não atender à convocação. Depois de intenso debate interno, decidiram ir, mas consentindo que França e Yênes fossem representados pelos demais.

Em segundo lugar, quanto ao pedido de apoio ao futuro presidente, Silval foi informado que no momento não poderá contar com isso. Entretanto, como era uma determinação sua, não restaria outra alternativa aos diretores senão acatá-la.

Oficialmente, todavia, apenas Carlos Brito falou com a imprensa ao final do encontro, que durou cerca de uma hora. Visivelmente tenso e angustiado, Brito - que é o diretor de infra-estrutura da Agência – disse que “eu sou subordinado à lei e ao governador, e se for mudada a lei e for definido que sou subordinado a A, B ou C, não tem problema nenhum”.

Ele também relatou que na reunião os diretores presentes expuseram ao governador o trabalho que vem sendo feito pela Agecopa, inclusive a licitação já em andamento para as principais obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande, no valor de R$ 380 milhões.

Com esse montante, esclareceu Brito, serão construídos oito viadutos, seis passagens subterrâneas e duas pontes, além de serviços de infra-estrutura nas principais avenidas de Cuiabá e Várzea Grande.

Os diretores também cobraram de Silval questões ligadas a “companheirismo”. Lembraram ao governador, garantem fontes de Hipernoticias, que pelo menos três deles (França, Brito e Yuri) tinham projetos eleitorais consistentes, quando aceitaram o convite para compor a Agecopa. França e Brito, inclusive, eram deputados estaduais, embora suplentes, quando renunciaram aos cargos e se desfiliaram de seus respectivos partidos, regra contida na lei original de criação da autarquia para seus membros.

Sobre Eder Moraes, Carlos Brito disse que não tem e nunca teve relação com ele “nem boa e nem ruim”. “Quando eu estava na Segurança e ele na Sefaz, era muito atribulado, e quando ele entrou na Casa Civil eu já estava fora até da Assembléia”, disse o diretor, é ex-deputado estadual, ao se referir ao período em que conviveram na administração ex-governador Blairo Maggi [PR].

CASA CIVIL

 

Página Única
Silval pede apoio para Eder em reunião tensa com membros da Agecopa
O governador Silval Barbosa não falou com a imprensa, nem se posicionou oficialmente por meio da Secretaria de Comunicação, após a reunião. Apesar das especulações surgidas sobre quem sucederá Eder Moraes na Casa Civil, fontes do Governo garantem que Silval ainda não definiu o nome de sua preferência. O nome mais cotado, todavia, é do deputado Mauro Savi (PR), que foi líder do Governo durante praticamente todo o governo Maggi, inclusive no período em que Silval assumiu no ano passado.

BLOCO NA RUA

Éder Moraes levantou bem cedo nesta sexta-feira, com objetivo de conquistar a simpatia de quem ele precisará muito nos próximos dias. Pela manhã ele visitou o presidente da Assembléia Legislativa, José Riva [PP], que deve conduzir a sabatina a ser feita pelos deputados. Isso, conforme uma fonte do Hipernotícias, deve ocorrer na sessão ordinária de terça-feira [19], ou no mais tardar, quarta-feira pela manhã.

“Ele esteve hoje comigo no meu gabinete tratando desse assunto [Agecopa] e ele tem meu apoio para exercer um bom trabalho lá”, adiantou o parlamentar, após entrevista no Programa Cidade 40 Graus, da TV Bandeirantes, canal 12.

Riva também disse que espera que Éder Moraes corrija o “hábito de não atender ao telefone, ater porque ele não terá muito contato com os deputados”.

É que enquanto chefe da Casa Civil, Moraes enfrentou duras críticas de vários parlamentares, principalmente de Riva, que chegou a levar o descontentamento ao conhecimento do governador.
“Mas isso não era porque ele queria não. Ele não atendia ao telefone porque ele é muito ocupado pois sabemos que é responsável por muitas atribuições”, minimizou.

Comente esta notícia

Carlos Robert 20/04/2011

Parabens Roberto França e Yenes Magalhaes. Precisamos de gente como vcs na politica, de peito!! e pro governador cito a maxima de uma das campanhas de frança "prometer e não cumprir e pior do que mentir, e abusar da confiança de quem acreditou", pense nisso "govzinho" e sua vida sera bem melhor"!!!!

Rubens Falcão 16/04/2011

Os Diretores da AGECOPA(todos)se tivessem um pouquinho de vergonha na cara pediam demissão dos cargos.mas e eu tenho certeza que não vão pedir em função do salário,mordomias,mas vão virar marionetes nas mãos do Éder Morales.Pensando bem a AGECOPA precisava de um xerife pra arrumar essa arapuca!Em tempo...

Jean M. Van Den Haute 16/04/2011

Legalmente a AGECOPA deveria atuar como uma Secretaria Extraordinária ligada ao "Governo Metropolitano de Cuiabá". No caso, com a experiência na MT Fomento, Eder Morães seria um excelente Secretário, falta aplicar a Lei Complementar Estadual n°359 e criar o Governo Metropolitano que deveria ser realidade desde Novembro de 2009. É LEI !!! - Jean M. Van Den Haute - SNDU, Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano.

Mirtes Nascimento 16/04/2011

Agora está consumada a vontade deste sr Riva, ter o sr Eder no comando dos bilhões que a Agecopa vai investir para a Copa. A raposa no galinheiro. O vice governador Silval mostrou que quem manda no governo é o presidente da Assembleia, campeão nacional da improbidade que tem 128 processos na justiça e sobrevive graças à IMPUNIDADE PARLAMENTAR. Quem votou no sr Silval como eu foi vitima de estelionato, ele não governa, não tem pulso, é fraco. Parabéns aos diretores França e Yenes que não foram à reunião repudiando o tratamento desrespeitoso e antiético.

4 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros