Copa Pantanal Segunda-feira, 25 de Abril de 2011, 17:09 - A | A

Segunda-feira, 25 de Abril de 2011, 17h:09 - A | A

ORDEM DADA

Governador pede a secretarios mais esforço para apoiar a Agecopa

Silval Barbosa quer mais envolvimento de auxiliares para Cuiabá

LUIZ ACOSTA

Maurício Barbant/AL-MT
Governador Silval Barbosa (ao centro) pede mais atuação de secretários para alavancar Agecopa
O governador Silval Barbosa (PMDB) promoveu na manhã desta segunda-feira (25) a segunda mudança no seu secretariado desde que assumiu o governo, no dia 1º de janeiro. Empossou o ex-secretário-chefe da Casa Civil, Eder Moraes, na Agência Estadual Executora dos Projetos da Copa 2014 (Agecopa) e, em seu lugar, o ex-deputado e ex-vice-prefeito de Cáceres, José Esteves Lacerda, irmão do ex-vice-governador de Mato Grosso, Márcio Lacerda.

Em seu discurso, Barbosa disse que a escolha da Agecopa era técnica e pessoal e que ele acreditava estar apresentando à sociedade mato-grossense um dos melhores nomes do atual governo para gerir os destinos da Agecopa e dar mais celeridade às obras que vão exigir muito do Estado, porque, tem prazo para iniciar e para terminar.

“Os primeiros passos já foram dados, os caminhos foram delineados pelo ex-presidente Adilton Sachetti e pelo diretor de Planejamento, Yenes Magalhaes. A Copa do Mundo de 2014 é muito mais complexa do que se imagina, pois envolve todas as secretarias, por isso, não deve faltar apoio de nenhum secretário, nenhum diretor ou presidente de autarquia. Tem que haver por parte de todos o apoio incondicional para que os objetivos traçados sejam alcançados, esta é minha orientação e minha orientação para todos os secretários de Estado para que o envolvimento seja completo e de todos, porque a Copa passa, mas, o legado das realizações ficam e vão ser o nosso maior lucro”, disse Silval.
Para o governador do Estado, mais do que trabalhar em união, vai ser necessário o envolvimento direto de cada secretaria, sempre que solicitado, para que não aja atraso em nenhuma das obras previstas para serem executadas em Cuiabá, Várzea Grande ou algum outro município da Baixada Cuiabana.

“O que está em jogo não é apenas a nossa capacidade de executar essas obras, mas, também do nosso país. Sabemos que muitos problemas terão de ser sanados, como por exemplo, na área de segurança pública, onde, com o efetivo que temos não obteremos muito êxito, não teremos a estrutura necessária para fazer bonito ao Brasil e ao mundo, por isso, tenho dito ao Dr. Diógenes Curado (secretário de Segurança Pública), ao secretário Paulo Lessa (Justiça) e ao nosso comandante da Polícia Militar, além dos outros secretários. Convidei a Assembleia Legislativa para atuar em conjunto com o governo para que possamos avançar cada vez mais. Se o Estado não tem os recursos necessários para fazer o enfrentamento na contratação de mais efetivo, temos que arrumar alternativas como foi feito, por exemplo na questão das estradas, onde assimilamos do governo Dante de Oliveira o Fethab, que serviu de opção para ajudar a solucionar esses problemas, então temos que buscar outros meios para, quando chegar em 2014, tenhamos o número suficiente de homens tanto nas Polícias Civil e Militar, como no Corpo de Bombeiros”.

O governador também lembrou a luta que vem sendo travada pelo governo para melhorar a situação da saúde pública em Mato Grosso. “Temos que ter coragem e ousadia, o secretário Pedro Henry provou e me convenceu de que no Brasil inteiro a melhor solução para a saúde está sendo a gestão compartilhada entre o governo e uma OS (Organização Social). Ora, se ele me provou que é possível, dei e estou dando todo apoio, então eu quero dedicar uma atenção especial para a Agecopa porque significa melhoria na saúde, segurança, transporte, valorização da cultura, educação e outros projetos que vão melhorar consideravelmente a visa dos nossos cidadãos”.

Ao finalizar, o governador chamou a atenção para o fato de que “se realizar a sua parte dentro do esperado e com todas as exigências cumpridas, nós (o Governo) e Mato Grosso entraremos para a história. Senão realizarmos, entraremos do mesmo jeito, só que com o rótulo de incompetente e, com certeza, nós não vamos querer fazer parte dessa segunda opção, por isso, peço mais uma vez o empenho de todos e a dedicação de cada um para que obtenhamos o sucesso que pretendemos”, completou.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros