Sábado, 04 de Abril de 2020, 10h:28

Tamanho do texto A - A+

Prefeito mantém aulas suspensas até 10 de maio: "Não vou deixar Cuiabá se transformar em uma nova Milão"

Por: FERNANDA ESCOUTO

Com o discurso de que não deixará Cuiabá se transformar em uma “nova Milão”, cidade localizada na Itália, o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou novas medidas preventivas à disseminação da Covid-19, o coronavírus. Entre essas, está manutenção da suspensão das aulas da rede pública municipal de Educação no período de 6 de abril ao dia 10 de maio. O anúncio foi feito neste sábado (4), por meio de uma live nas redes sociais.

Luiz Alves

Emanuel Pinheiro

 

Conforme Emanuel, as atividades escolares suspensas incluem atividades em creches públicas municipais e conveniadas. O novo decreto, assinado no dia 3, deve ser publicado em Diário Oficial.

“Estão suspensas atividades em todos os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), o programa Bom de Bola, Bom de Escola também. Fica proibido qualquer programa escolar que implique em aglomeração de pessoas”, destacou.

O chefe do Executivo Municipal também fez uma recomendação às instituições de ensino privado, como creches e berçários privados que estejam instalados no município de Cuiabá, que obedeçam, que acompanhem, esse novo decreto. 

“No que depender de mim, como prefeito da Capital, não vou deixar Cuiabá se transformar em uma nova Milão. E para isso eu preciso da compreensão e colaboração de todos”, ressaltou, esclarecendo que conforme estudos de projeção, a previsão de pico para o vírus está entre a segunda quinzena de abril e a segunda quinzena de maio.

Já os alunos do Ensino Fundamental (1° ao 9º Ano) e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) irão receber apoio as atividades educacionais na forma virtual (EAD). Hoje, a rede municipal atende a 54 mil alunos. 

O emedebista destaca que as famílias dos alunos que não conseguirem acesso à internet via celular ou computador poderão retirar as atividades impressas nas unidades de ensino.

Merenda garantida

Preocupado com as mais de 18 mil crianças em situação de vulnerabilidade social matriculadas na rede municipal, o prefeito afirmou que as merendas continuarão sendo entregues.

“Temos 18 mil crianças abaixo da linha de pobreza que têm na merenda escolar a sua única alimentação diária. Essa era a nossa maior preocupação, a nossa maior angústia”, pontuou.

“Vamos garantir até 10 de maio, até quando durar a suspensão das aulas. Pretendemos até ampliar para os demais alunos, mas por enquanto estamos atendendo os alunos de vulnerabilidade social que, entre 54 mil tem 18 mil crianças, nessa situação”, completou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei







Mais Comentadas