Cidades Terça-feira, 19 de Abril de 2011, 10:00 - A | A

Terça-feira, 19 de Abril de 2011, 10h:00 - A | A

CYBERBULLINGS

Estudantes e professores do IFMT discutem problemas entre alunos

Palestra contará com relato de aluna sobre o ataque que sofreu no início deste ano

 

Foto da Internet

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) coloca em pauta de discussão o ciberbullying. O tema será debatido por por psicólogos, professores e alunos nesta terça (19) às 17h30 na sala de projeções do campus Cuiabá. A palestra abre o primeiro Guaraná Filosófico realizado pelo Grupo de Pesquisa em Filosofia (GPF), organizado pelo corpo docente da Instituição.

Um dos organizadores do evento, o professor de filosofia e matemática Sérgio Mendes, disse ao Hipernoticias que o objetivo do evento é fazer uma intervenção no Instituto. De acordo com Mendes, o ciberbullying, praticado em redes sociais, é frequente e com isso os alunos acabam sendo prejudicados em seu rendimento dentro e fora da sala de aula.

O tema começara pela esfera da rede, porque quase não discute nos espaços escolares, mas será inevitável falar na presença que o bulling é cometido, tanto em salas de aula como nos corredores do IFMT. 

A palestra é composta por Henriett Montanha, psicóloga; Giovanna Burton, aluna do 2º ano do curso em secretariado do IFMT e  Josiane Tomás, psicóloga e pesquisadora do tema, que ainda confirmará sua presença no evento.

Sergio Mendes também nos relatou que muitos casos aparecem no Instituto. Entre eles “tivemos um caso de um aluno que foi apelidado de "pitoco" porque ele tinha estatura baixa. Os colegas falavam sempre e com o tempo o caso foi se agravando de forma que o aluno não conseguia reagir, até que um dia ele não conseguiu retornar à sala de aula. A direção do Instituto não conseguiu reverter esse caso. A medida tomada pela diretoria foi repetir de ano alguns agressores e outros saíram do IFMT”.

Mendes diz que muitas vezes o adolescente não tem consciência da gravidade dos fatos e por isso agem sem limites. “Por isso queremos fazer com que muitos alunos tenham consciência do mal que estão fazendo à outras pessoas. Essa intervenção é muito importante”, reafirmou o professor.

A aluna Giovanna Burton dará seu relato sobre o ataque de ciberbullying que sofreu no início deste ano. Giovanna ficou sabendo que anônimos estavam postando informações sobre a sua vida pessoal pela rede social Twitter. Os praticantes do crime divulgavam informações de outros colegas também que passaram a ser motivo de chacota dentro do espaço escolar. O canal foi desativo tempos depois, por orientação da direção do instituto.

Além do exemplo da aluna Giovanna, os palestrantes devem apresentar vários videos sobre o bulling e ciberbullying que estão hospedados no blog do grupo de pesquisa.

A expectativa é que o evento seja sucesso dentro e fora do Instituto, já que mais de 700 pessoas já visitaram o site do grupo.


Ciberbullying

Desde que o mundo é mundo existe o bulling. A palavra vem do inglês bully, e quer dizer valentão ou brigão. No Brasil, o tema vem sendo estudada desde a década de 70. O fenômeno tomou proporções gigantes com a rede mundial de computadores, passando a se chamar cyberbullying.

Um das autoridades do assunto no país,  a pesquisadora Cleo Fante, doutoranda em ciências da educação cita  alguns modelos educativos familiares como causa dos problemas, entre eles o autoritarismo, a permissividade, a ausência de limites e afeto e o abandono. Fatores como a força da mídia, por meio de programas e filmes violentos, a influência cultural, também são pontos a serem considerados, segundo a pesquisadora colaboram para o egoísmo, o individualismo, a falta de empatia, compaixão, tolerância e respeito com o próximo.


Guaraná Filosófico

O Guaraná Filosófico foi criado para fomentar discussões que são pertinentes ao universo escolar. O tema ciberbullying estava no topo da lista de debate por estar muito presente no cotidiano do Instituto.

O organizador Sergio Mendes, disse que o Grupo de Pesquisa em Filosofia IFMT quer fazer parcerias com outras instituições de ensino para que o debate acerca de assuntos recorrentes estejam sempre em pauta.

O organizador disse, ainda, que a intenção é tratar de assuntos multidisciplinares, ampliando, dessa forma, os temas abordados.

O Guaraná Filosófico, nome que faz referência à cultura do guaraná ralado na cidade de Cuiabá, será realizado mensalmente não só no Instituto, mas também em outros lugares da capital.

Interessados em fazer parceria com o Guaraná Filosófico, entrar em contato com gpfifmt@gmail.com.

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros