Sábado, 18 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,11
euro R$ 5,55
libra R$ 5,55

Cidades Terça-feira, 18 de Outubro de 2016, 16:20 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 18 de Outubro de 2016, 16h:20 - A | A

MORTE DOS PROCURADORES

Acusado comprou veículos, jet ski e lotes com dinheiro desviado de fazenda

REDAÇÃO

Uma nova investigação está em andamento na Delegacia da Polícia Civil de Vila Rica (1.259 km a Nordeste) para apurar o crime de furto continuado de gado da propriedade dos dois procuradores mortos no dia 9 de setembro em 2016.

 

Reprodução/HiperNoticias

policia civil/procuradores

 

As informações são da assessoria da Polícia Civil.

 

O inquérito que investigou o duplo homicídio, tendo como vítimas, o procurador aposentado do Distrito Federal, Saint Clair Martins Souto, e seu filho Saint Clair Martins Souto Filho, que era procurador do Estado do Rio de Janeiro, foi concluído no dia 29 de setembro de 2016 e enviado à Justiça.

 

O suspeito, José Bonfim Alves Santana, que era gerente da fazenda das vítimas, teve a prisão temporária convertida em preventiva e foi indiciado por duplo homicídio com três qualificadoras cada, sendo recurso que impossibilitou a defesa das vítimas, motivo torpe e para ocultar a prática de outros crimes. “Conclui o inquérito e representei pela prisão preventiva dele que foi acatada e decretada pelo juiz da comarca”, disse o delegado, Gutemberg de Lucena Almeida.

 

Conforme o delegado, o segundo inquérito, busca, exclusivamente, a apuração do crime de furto praticado pelo suspeito e possível envolvimento de outras pessoas. “Apesar de ter sido o motivo dos homicídios, exige uma apuração mais aprofundada sobre a destinação dada ao patrimônio das vítimas. Sabemos que foi desviada grande quantidade de gado e adquiridos bens  com o proveito do furto, como veículos, Jet ski, lotes e outros e que tais bens foram repassados a terceiros”, explicou o delegado.

 

As investigações iniciais do caso, que culminaram na prisão do suspeito, teve a participação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e da Polícia Civil do Tocantins. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros