Política Segunda-feira, 06 de Junho de 2011, 17:50 - A | A

Segunda-feira, 06 de Junho de 2011, 17h:50 - A | A

NEGOCIAÇÃO

Silval Barbosa está em Brasília para negociar dívida pública

Acompanham o governador, Blairo Maggi (PR) e o presidente da Agecopa, Eder Moraes

DA REDAÇÃO

Mayke Toscano/Hipernotícias
Silval Babrosa está em Brasília para negociar dívida pública

O governador Silval Barbosa viajou a Brasília para negociar o pagamento da dívida pública. O seretário do Tesouro Nacional (STN), Arno Augustin, pediu 10 dias para analisar o pedido do chefe do Executivo do Estado. A instituição financeira que irá coordenar a operação de crédito com o Governo será o Banco do Brasil.

De acordo com Silval Barbosa, a proposta oficial foi muito bem recebida pelo secretário do STN, que entendeu a necessidade e a importância de fazer essa renegociação. “Esse é um avanço muito grande para o Estado. Após os dez dias o secretário vai avaliar para avançarmos e protocolarmos na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado”, explicou.

Com a reestruturação da dívida, conforme assinala ainda Silval, Mato Grosso abre espaço para planejar sua gestão. “O nosso planejamento é em dez anos quitar a dívida”

O presidente da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo do Pantanal (Agecopa), Eder Moraes, disse que o governador fez uma defesa técnica da proposta do Estado e considera uma vitória para Mato Grosso. “Depois de protocolada oficialmente, o secretário vai analisar e dar o sinal para a continuidade da operação”.

Ao participar da audiência, o senador Blairo Maggi falou que no momento em que o Estado fecha um acordo como esse ganha espaço para investimentos.

Ao final da audiência,o governador Silval Barbosa se encontrou com o ministro de Fazenda, Guido Mantega.

Nesta terça-feira (7),Silval participa, em Brasília, do encontro dos governadores dos estados da região Norte e das demais unidades federadas do Centro-Oeste com o ministro Guido Mantega sobre a reforma tributária.

REESTRUTURAÇÃO

A intenção, já autorizada pelo secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, é que o Estado realize um empréstimo em instituições financeiras com taxas fixas de juro abaixo de 18%, sem indexadores e quite o débito de R$ 4 bilhões com a União. Assim, o pagamento à União será feito e posteriormente o pagamento dos empréstimos aos bancos.

A economia aos cofres públicos, em valores, com a renegociação da dívida de Mato grosso pode chegar a R$ 500 milhões, revertidos em obras e mais investimentos para o Estado, principalmente no que se refere à infraestrutura. (Com informações da Secom)

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros