Política Quinta-feira, 02 de Junho de 2011, 23:37 - A | A

Quinta-feira, 02 de Junho de 2011, 23h:37 - A | A

DEFESA DA REGIÃO

Parlamento Amazônico discute ações para desenvolvimento da região

Cuiabá é sede pela primeira vez do grupo formado por 9 estados da Amazônia Legal

DA REDAÇÃO

Jupirany Devillart/AL
Com palestras voltadas ao desenvolvimento da região, o Parlamento Amazônico inicia a primeira reunião em Cuiabá, nesta sexta-feira (3), no Plenário das Deliberações da Assembleia Legislativa (AL) de Mato Grosso. O encontro marca o retorno do Legislativo mato-grossense à entidades.

Criado por iniciativa do presidente da AL, José Riva (PP), em 1999, o Parlamento Amazônico é formado pelos estados que compõem a Amazônia Legal.

Objetivo do encontro é discutir ações nos âmbitos político, econômico, social e ambiental que contribuam com o desenvolvimento da região. "É uma defesa conjunta para o desenvolvimento da Amazônia. Temos que unir forças para diminuir as desigualdades regionais”, explica Riva.

Atualmente, o Parlamento é comandado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, Mecias de Jesus, que fez questão de realizar o encontro em Cuiabá, marcando o retorno da ALMT e para retomar o vigor das atividades.

Riva foi o primeiro presidente da unidade e após entregar a presidência, deixou de participar dos debates por motivos de saúde. Nessa fase, explica ele, as atividades do PA foram se desgastando e tomando rumo puramente político.

O encontro será encerrado com a aprovação da Carta Amazônica de Cuiabá, que será encaminhada a Brasília. Além disso, Riva vai sugerir a realização de reuniões mensais entre os membros do Parlamento. E cobrou rigor no enfrentamento das questões voltadas à região. Entre eles, investimentos nos recursos hídricos que podem se tornar a redenção da economia local, propiciando melhorias no escoamento da produção brasileira.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros