Política Terça-feira, 22 de Dezembro de 2020, 08:25 - A | A

Terça-feira, 22 de Dezembro de 2020, 08h:25 - A | A

"O OBJETIVO É O MESMO"

Mendes garante apoio do governo federal na implantação do BRT: "Objeto muda, o objetivo é o mesmo"

WELLYNGTON SOUZA E THAYS AMORIM
DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) descartou qualquer penalidade financeira por parte do governo federal, após desistir das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e trocar pelo Ônibus de Trânsito Rápido (BRT). O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira (21) no Palácio Paiaguás. O democrata ainda prevê uma parceria com a União para a conclusão do modal. 

Divulgação

mendes e marinho.jpeg

 

LEIA MAIS: Mendes desiste de VLT e anuncia BRT em Cuiabá e Várzea Grande

“Primeiro que não existe multa por troca de objeto. O que pode acontecer é uma recessão e temos que pagar antecipadamente objeto de financiamento, mas já existe precedente, nós estamos mudando objeto, mas não o objetivo, de promover uma solução de mobilidade urbana nova, moderna, eficiente e sustentável”, disse. 

Mendes destacou que pediu ao ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho a autorização para substituir a execução das obras em Cuiabá e Várzea Grande.

O VLT teve custo previsto de R$ 1,4 bilhão, sendo que R$ 1,08 bilhão já foi pago ao consórcio responsável pela obra, que deveria ser entregue a tempo da Copa do Mundo de 2014.

“Isso ficou muito claro na reunião que tivemos com o ministro, com ministério e com vários técnicos. Senti a parte proativa, inteligente, de boa-fé do ministro e ele se colocou à disposição para nos ajudar inclusive na aprovação e dialogar com governo federal”, ressalta.

LEIA MAIS: Mendes processa concessionária responsável pelo VLT e pede ressarcimento de R$ 676,8 milhões

Trocal de modal 

A decisão do governador em pedir a substituição levou em conta estudos técnicos elaborados pelo Governo de Mato Grosso e pelo Grupo Técnico criado na Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana. Os estudos concluíram que a continuidade das obras do VLT era “insustentável”, demoraria até seis anos para conclusão, custosa aos cofres públicos, com pouca vantagem à população e ainda contaria com uma tarifa muito alta.

“É muito mais econômico e vantajoso para a população mudar para o BRT. Nós avaliamos os custos, o risco e o tempo para resolver essa situação que perdura há mais de seis anos. É uma alternativa muito mais lógica e racional”, afirmou o governador.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros