Segunda-feira, 22 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

Política Terça-feira, 13 de Setembro de 2022, 14:40 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 13 de Setembro de 2022, 14h:40 - A | A

POLÊMICA

Mendes diz que não é "alçada" da Sesp investigar vida de secretário preso por tráfico

Ex-secretário foi preso em operação este ano por envolvimento no tráfico internacional de drogas

CLARYSSA AMORIM
DA REDAÇÃO

O governador e candidato à reeleição, Mauro Mendes (UB), negou qualquer falha da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) no caso do ex-secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Nilton Borgato, preso por tráfico internacional de drogas. Segundo o governador, investigar a 'vida pessoal' dos membros do alto escalão foge da alçada da Pasta. 

Indagado sobre a prisão de Borgato que foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por tráfico de drogas enquanto ainda era secretário, Mendes disse que o papel do Governo é investigar um secretário ou servidor se há indícios de crimes dentro da gestão. 

“Não tem nada a ver. Quando veio a público, ele não estava mais no Governo. Na vida privada, não tem nada a ver com o setor público. Se fosse uma prática de corrupção dentro do Governo, a gente iria investigar, mas o que ele fez ou faz na vida privada, não me interessa. Imagina se a TV Centro América tivesse que investigar crimes da vida pessoal de cada trabalhador, sabemos que é possível ter criminosos aqui, mas isso não significa que seja culpa do diretor”, disse Mendes exaltado em entrevista ao telejornal MT1, nesta terça-feira (13).

Borgato assumiu a secretaria em janeiro de 2019. Ele foi exonerado no dia 31 de março e a publicação no Diário saiu dia 1º de abril. O MPF ofereceu denúncia contra o ex-secretário em maio por tráfico internacional de drogas, organização criminosa e remessa irregular de divisas ao exterior.

LEIA MAIS: MPF denuncia lobista, ex-secretário de MT e doleira por tráfico internacional de drogas

Além do escândalo da prisão do ex-secretário, Mauro comentou outras polêmicas em que envolve o seu nome como governador, como desmatamento, Fethab, VLT e BRT, infraestrutura, educação e o projeto de lei da energia solar.

Sobre a energia solar comentou sobre o projeto de isenção do ICMS da energia solar que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovou, porém ao chegar em suas mãos, Mendes não sancionou a Lei. Segundo o governador, os deputados querem que todos respeitem a Lei que criam, mas eles não respeitam a ‘lei das leis’.

“Não aprovei porque a constituição brasileira precisa ser respeitada. Ela diz claramente que não pode tarifa tributária, além de não ser competência da Assembleia Legislativa decidir isso. Uma Casa que faz Leis, querem que todos respeitem a deles, mas não respeitam a constituição”, questionou.

PRISÃO

Borgato foi preso no dia 19 de agosto deste ano durante a Operação Descobrimento da Polícia Federal (PF), que cumpriu nove mandados de prisão no Brasil e em Portugal. Foram 46 mandados de busca e apreensão, além de prisões preventivas. Segundo as investigações, Borgato é responsável por realizar o transporte de drogas para a Europa, junto à doleira Nelma Kodama e o membro do alto escalão da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcelo Mendonça de Lemos.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros