Política Quarta-feira, 13 de Abril de 2011, 14:23 - A | A

Quarta-feira, 13 de Abril de 2011, 14h:23 - A | A

TROCA DE FAVORES?

Madureira contrata filha de vereador para trabalhar em seu gabinete

Servidora estuda durante o dia e não teria tempo suficiente para trabalhar na prefeitura

LUIZ ACOSTA

Internet
Caos administrativo e político se instalou há muito tempo na Prefeitura de Várzea Grande

Passado o “surto” de moralidade que o prefeito interino João Madureira (PSC) imprimiu nos primeiros dias de comando, as coisas parecem estar voltando à “normalidade” em Várzea Grande, ou seja, as mudanças esperadas e anunciadas não são tão grandes assim. Tanto, que, depois das exonerações, algumas recontratações foram feitas “a dedo” ou, quando nada, por “recomendação” expressa de alguns “aliados”.

Pelo menos é isso que mostra algumas decisões tomadas por Madureira, como por exemplo, a recontratação da filha do vereador Hilton Gusmão (PV), Joselaine da Silva Gusmão, que foi exonerada do cargo de assessora de comunicação da Guarda Municipal, no dia 17 de março e agora foi recontratada para trabalhar no gabinete do prefeito interino com salário de R$ 2.453,23 por mês. Pode até ser legal, mas não deixa de ser imoral e com característica de troca de favores.

O curioso nessa história é que Joselaine Gusmão não é formada em Comunicação Social e nem freqüenta o curso, e sim, estuda enfermagem, que não tem nada a ver com a função de assessora de comunicação. Além disso, a filha do vereador estuda de dia e não se sabe como ela vai conseguir conciliar o cargo com a função na Prefeitura de Várzea Grande. Se trabalhar, não vai à aula, se estudar, falta ao trabalho.

IMPROBIDADE

Enquanto isso, na Câmara Municipal começam a “pipocar” denúncias contra os vereadores que ajudaram a afastar o prefeito Murilo Domingos e o vice Tião da Zaeli, ambos do PR. A vereadora Isabela Guimarães (DEM) uma das mais ferrenhas adversárias de Murilo e Tião, está sendo acusada de apropriação indébita de salário de servidor, acusação que, se comprovada, poderia custar o cargo da parlamentar.

Percília Izabel Figueiredo Neta denunciou a um site de Várzea Grande que em 2009 foi contratada pelo gabinete da vereadora democrata como “segurança parlamentar” (cargo que geralmente é destinado a homens) e que, após um mês de trabalho recebeu R$ 600 pelos serviços mas foi obrigada a devolver R$ 200 para a vereadora. Isabela Guimarães foi procurada por telefone pela reportagem, porém, não atendeu as ligações e nem retornou posteriormente.

Como se vê, as mudanças prometidas podem acontecer, mas, virão “recheadas” de denúncias e “causos” difíceis de “engolir”. Infelizmente, o município passa por um dos piores momentos políticos da sua história e a solução para isso parece estar longe ainda.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros