Terça-feira, 21 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,10
euro R$ 5,53
libra R$ 5,53

Política Quinta-feira, 09 de Junho de 2016, 09:35 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 09 de Junho de 2016, 09h:35 - A | A

PARCELAS A PERDER DE VISTA

Governo mantém 6% e pode pagar restante da RGA se baixar o peso da folha salarial

PABLO RODRIGO

Após passarem a noite de ontem (8) reunidos com o governador Pedro Taques (PSDB), os deputados estaduais Guilherme Maluf e Wilson Santos, ambos tucanos, conseguiram uma nova proposta de acordo ao Fórum Sindical para por fim na greve dos servidores públicos do Estado.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

wilson santos

 

Segundo o líder do governo na Assembleia Legislativa, Wilson Santos, algumas lideranças do Fórum Sindical já aceitaram o pagamento de 6% da Revisão Geral Anual (RGA) em três parcelas iguais a serem pagas nos meses de setembro, janeiro e março e parcelar os 5,28% restantes em 12 vezes.

 

“Os servidores já aceitam parcelar em doze vezes. Não vou dizer todo o Fórum Sindical, mas várias categorias, uma boa parte disseram que aceitam parcelar os 5,28% restantes da RGA. Então se paga os 6% em três parcelas de 2% e o 5,28% serão parceladas em 12 vezes. Então o Fórum começa a flexibilizar nas negociações”, disse Wilson Santos, em entrevista a rádio CBN.

 

Em resposta, o governo teria proposto que os 5,28% sejam pagos conforme a redução do peso da folha salarial no orçamento do Estado, atualmente fixado em 49% pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Assim, toda vez que ficar abaixo do limite, parte da revisão seria paga. Hoje o valor está em 50,46% da Receita Corrente Líquida.

 

“Toda vez que o governo conseguir abaixar o limite da LRF, que é de 49%, essa diferença será para pagar esses 5,28% da RGA. Se em setembro a folha de pagamento ficar em 47%, por exemplo, esses 2% de diferença será para o pagamento desses 5,28%. Isso será definido mês a mês e o Fórum terá acesso mensal a esses números”, explicou o tucano.

 

A proposta deve ser apresentada agora pela manhã aos membros do Fórum Sindical em reunião na Assembleia Legislativa

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

AS CORTINAS DA SEFAZ 10/06/2016

"Pau que bate em Chico não é o mesmo que bate em Francisco", vejam as benesses aos amigos do Rei: nos corredores da sefaz, só se houve que está a caminho um maravilhoso AUMENTO da VI= VERBA INDENIZATÓRIA SOMENTE PARA os FTES no valor de R$15.000,00(QUINZE MIL REAIS) E R$12.000,00(DOZE MIL REAIS) PARA OS ATE’s(SIPROTAF), fiquem de olho, estão todos se lixando se os servidores irão fazer greve ou não, alias só fazem o que lhe convém, lotearam a Sefaz com fiscais(sindifisco) em cargos de chefia onde nada mais fazem senão perseguir as demais categorias, com um assédio moral jamais visto, mas saibam que não nos calarão!!!!MPE CADÊ A FISCALIZAÇÃO NO TAL SALDO DE COTAS QUE ATÉ HJ ESTÁ EMPERRADO E ENGAVETADO????

positivo
0
negativo
0

Teka Almeida 09/06/2016

Prá mim, mesmo com essa proposta, o governo de Mato Grosso não está pagando aos servidores a RGA de 11,28%, isso porque não condiz com a lei. Em nenhum momento vamos ter o retroativo, conforme a lei que nos ampara, e esses 5,28% atrelado a queda da folha de pagamento ao patamar de 47% é mais um conto para bobo, que somos nós, do Pedro Taques. Isso porque em nenhum momento ele quis ou quer a solução dos problemas para Mato Grosso, quer sim que os demais poderes façam aquilo que ele quer, redução do duodécimo, vai agora fazer mais uma mini reforma (para ingles ver) dizendo reduzir cargos comissionados, fusão de secretarias e autarquias. Inventou o tal pacto por Mato Grosso Grosso, sacrifico para os outros, pois em nenhum momento foi dito que iria acabar com os contratados, com as verbas indenizatórias, que por sinal são escandalosas, taxação dos barões do agronegócio, e reforma fiscal. Como ele quer chegar a 47% com a folha quando sem nenhum planejamento??? chamou 3000 novos candidatos, lançou concurso para a PGE com salários iniciais absurdos. Um governo sem a mínima capacidade de governar, pois não detém conhecimento técnico de gestão, secretários despreparados de conhecimento público, eu já dou por perdido esses 5,28%. Fico imaginando como será a RGA de 2017 e 2018, rezo dia e noite para esse governo cair FORA. Deus permita que a judicialização da nossa RGA vá para o STF.

positivo
0
negativo
0

Rafael 09/06/2016

Uma palhaçada, uma Falta de respeito com todos servidores públicos. Essa proposta é ainda mais ridícula que as demais, uma carta de crédito que não servirá para nada. Um estelionato que o governo está querendo fazer. Não podemos aceitar isso, é uma direito adquirido aí vem esse governador que se diz ligalista é simplesmente não quer pagar? Absurdo.. Decepcionado com esse governo que aliás até agora não fez nada para nós da segurança pública, continuamos se farda, com coletes vencidos, se armas e só cumpriu o que já estava aprovado pela assembleia do governo passado. Com fé em Deus esse governador não irá se reeleger.

positivo
0
negativo
0

Teka Almeida 09/06/2016

Prá mim, mesmo com essa proposta, o governo de Mato Grosso não está pagando aos servidores a RGA de 11,28%, isso porque não condiz com a lei. Em nenhum momento vamos ter o retroativo, conforme a lei que nos ampara, e esses 5,28% atrelado a queda da folha de pagamento ao patamar de 47% é mais um conto para bobo, que somos nós, do Pedro Taques. Isso porque em nenhum momento ele quis ou quer a solução dos problemas para Mato Grosso, quer sim que os demais poderes façam aquilo que ele quer, redução do duodécimo, vai agora fazer mais uma mini reforma (para ingles ver) dizendo reduzir cargos comissionados, fusão de secretarias e autarquias. Inventou o tal pacto por Mato Grosso Grosso, sacrifico para os outros, pois em nenhum momento foi dito que iria acabar com os contratados, com as verbas indenizatórias, que por sinal são escandalosas, taxação dos barões do agronegócio, e reforma fiscal. Como ele quer chegar a 47% com a folha quando sem nenhum planejamento??? chamou 3000 novos candidatos, lançou concurso para a PGE com salários iniciais absurdos. Um governo sem a mínima capacidade de governar, pois não detém conhecimento técnico de gestão, secretários despreparados de conhecimento público, eu já dou por perdido esses 5,28%. Fico imaginando como será a RGA de 2017 e 2018, rezo dia e noite para esse governo cair FORA. Deus permita que a judicialização da nossa RGA vá para o STF.

positivo
0
negativo
0

alexandre 09/06/2016

que tal pagar a verba indenizatoria de 65 mil a pagar a perder de vista..nas mesmas condiçoed do RGA.

positivo
0
negativo
0

KAKAI 09/06/2016

NÃO ACEITEM CARTAS DE CRÉDITOS E NEM ESSE PARCELAMENTO RIDÍCULO QUE FOI VENTILADO POR WILSON SANTOS E SUA TROPA ABRAM OS OLHOS PESSOAL, VEJAM OS AAF's SOFREM ATÉ HOJE A CONSEQUÊNCIA DISSO, Sou conhecedor da causa dos agentes fazendários, aqueles que trabalham nas agências fazendárias(antiga exatoria), esses desde o malfadado acordo de 2008, não tiveram nenhum reajuste e sofrem de um assédio moral paritário jamais visto por esses fiscais que se dizem dono da sefaz/mt, a ação de isonomia ao Grupo TAF, iniciou em 1996 através do N. 30884/96, onde ganharam na SUPREMA CORTE DO BRASIL, DIGO STF E ATÉ ENTÃO NADA FORA CUMPRIDO E AINDA EXCLUÍRAM O ARTIGO QUE FALAVA DA ISONOMIA AO GRUPO DE TRIBUTAÇÃO ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO- TAF, O QUE VOCÊS AGENTES FAZENDÁRIOS TEM QUE FAZER É EXECUTAR ESSA SENTENÇA QUE JÁ PASSOU DA HORA, SÓ ASSIM ELES IRÃO RESPEITÁ-LOS, DO CONTRÁRIO SÃO AS INOVAÇÕES ILEGAIS QUE AINDA PERSISTIRÃO!!!!Agora quanto as cartas de créditos espero que jamais aceitem uma indecência dessa, só Wilson Santos e P.T. para oferecem algo tão nocivos aos servidores.

positivo
0
negativo
0

Fabio Moca 09/06/2016

Ta ficando menos pior, pelo menos atende os 11,28%, mesmo que num prazo de 22 meses.. Mas aí surge outro problema.. nesse período havera RGA de 2017 e 2018. também serão adiados da mesma forma? ou dessa vez não vão Retirar da LOA para beneficiar os outros poderes como fizeram em 2016?

positivo
0
negativo
0

7 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros